A primeira escola 5G em Portugal é em Matosinhos

Foi assinado esta terça-feira de manhã um protocolo de colaboração entre a Escola Secundária João Gonçalves Zarco, em Matosinhos, a empresa de tecnologia Ericsson e a NOS para o desenvolvimento de projetos na rede 5G. Esta manhã, os alunos do 12º ano visitaram virtualmente o Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa.

Sem sair da sala de aula, Hugo Escaleira, 17 anos, estudante de Ciência e Tecnologia, visitou o Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, a mais de 300 quilómetros da escola, utilizando óculos de realidade virtual e a rede 5G instalada na escola. Foi assim que assumiu a pele de um robô que também estava na capital e, controlando a máquina com um comando, o aluno visitou a sala do Explora e perguntou ao guia do museu sobre experimentos científicos, como convergência e divergência de luz. ou fenômenos meteorológicos como um tornado.

O aluno, confiante que este ano poderá fazer uma aula com esta tecnologia, prevê a possibilidade de visitar outros locais como forma de aplicar as aprendizagens em Biologia e Geologia ou Física e Química.

Para o diretor da escola, José Ramos, este é “um passo muito importante para a educação”. Ainda é necessário estudar, em conjunto com o corpo docente e de acordo com os diferentes programas educacionais, que aplicação prática esta tecnologia terá no ensino. “Esta dificuldade de ser os primeiros a avançar com um projecto dá-nos, por um lado, um sentimento de orgulho. Por outro, também traz o risco de não sabermos muito bem o que vai acontecer”, admite José Ramos.

“Esperamos que os currículos das diversas disciplinas sejam trabalhados de forma diferenciada. Acredito que o 5G nos permitirá transplantar uma sala de aula para qualquer parte do mundo e permitir que os alunos vivenciem situações que os ajudem a incorporar o conhecimento é mais fácil ”, diz o diretor, lembrando que a mudança vai forçar“ alguma ousadia ”, lembrando que“ a maioria dos professores ainda tem dificuldades com as tecnologias ”.

O director executivo da NOS, Manuel Ramalho Eanes, afirma que o 5G vai contribuir para uma “educação mais democrática”, referindo-se à “obrigação de formar os jovens para que estejam preparados para o amanhã”. O objetivo, explica, é criar um conceito de aprendizagem “mais amplo, com mais qualidade e que também ajude a motivar mais os alunos”.

A Escola Secundária João Gonçalves Zarco, em Matosinhos, tem cerca de 1800 alunos, do terceiro ciclo, ensino secundário e educação de adultos.

“Elimine as barreiras tradicionais”

Sofia Vaz Pires, CEO da Ericsson Portugal, que apresenta a empresa como “o parceiro de eleição da NOS em Matosinhos”, salienta ainda que a realidade virtual vai ajudar a “eliminar as barreiras tradicionais” na educação.

Luísa Salgueiro, reeleita autarca de Matosinhos, que também esteve presente na cerimónia desta manhã, deixou o compromisso de que o Município vai manter “a educação como uma prioridade ao nível da estratégia de intervenção local”.

“Queremos o 5G para amenizar algumas dificuldades que ainda existem no acesso à formação e à educação”, esclareceu.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero