A última música do compositor presta homenagem às vítimas do colapso

A última composição deixada pelo maestro italiano Ennio Morricone, que morreu hoje, aos 91 anos, é uma música orquestral dedicada às 43 vítimas da demolição da ponte Morandi, realizada em agosto de 2018, em Gênova.

O conjunto é chamado “Tante Pietre a Ricordare” (“Muitas pedras para lembrar”, em tradução livre) e será apresentado na noite anterior à abertura da nova ponte, prevista para o final de julho, pela Orquestra de Teatro Carlo Felice, em Gênova,

A música tem quatro minutos de duração e é a última que o maestro concluiu, ele é autor de trilhas sonoras memoráveis ​​para o cinema e vencedor de duas estátuas do Oscar, incluindo uma para uma coleção de seu trabalho.

O músico e compositor morreu em uma clínica em Roma, capital da Itália, pelos efeitos de uma queda. A família anunciou que o funeral seria fechado ao público, “por respeito à humildade que sempre inspirou as obras de sua existência”.

Caminho

Nascido em 10 de novembro de 1928 em Roma, Ennio Morricone criou mais de 500 músicas para cinema e televisão, e suas grandes paixões eram música sinfônica e experimentação.

Filho de um trompetista e formado no Conservatório de Santa Cecília, uma das escolas de música mais famosas da Itália, ele faz parte de um panteão limitado de grandes maestros da história do cinema, como evidenciado por uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood e dois Oscars: um em 2007 por seu trabalho. , e outro em 2016, para a trilha sonora original de “Os Oito Odiados”, de Quentin Tarantino, um de seus maiores fãs.

Além disso, ele foi indicado mais cinco vezes: “Ashes in Paradise” em 1979, “Mission” em 1987, “Intocáveis” em 1988, “Bugsy” em 1992 e “Little” em 2001.

Outras grandes obras de Morricone são as trilhas sonoras originais “Por um Punhado de Dólares” (1964), “Cinema Paradiso” (1988) e “Bastardos Inglório” (2009).

Relatando sua grande capacidade de trabalhar com cinema, o maestro explicou uma vez como ele gosta de ter liberdade. “Há diretores que estão procurando coisas razoáveis ​​e, neste caso, estou ouvindo.

Mas então, coloquei minha assinatura, minha atenção criativa.

Esta aceitação da solicitação do diretor não é passiva. “Segundo Morricone, o palco, antes de agradar ao diretor e ao público, deveria agradar a si próprio”. Eu tenho que ser feliz diante do cineasta. Não posso me enganar com a minha música “, disse ele.

O maestro italiano também ganhou três prêmios no Globo de Ouro, seis no Bafta e 10 no David Di Donatello, o “Oscar” do cinema italiano.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero