Report Grand Championships: Star Wars Destiny

Utilizarei este espaço para fazer um breve relato do que foi, na minha visão, o Grand Championship SWD 2019, mas antes de começar, vamos contextualizar o torneio e a fase atual do nosso amado TCG aqui no Brasil.

Com o fim dos regionais, no meio do ano, as expectativas vieram em cima da nova coleção, Spark of Hope, e o torneio nacional no final do ano. Porém no final de agosto a Fantasy Flight Games anuncia que a nova coleção, Covert Missions, iria ter seu lançamento adiado para o primeiro semestre de 2020 e essa notícia caiu como um balde de água fria para toda a comunidade, mesmo no Brasil, que não tinha até aquele momento nem experimentado a coleção atual. Essa será a maior espera para sair de uma coleção para outra e isso afasta jogadores.

Aliado a isto, a Galapagos jogos resolve dar uma grande ajuda e lança Spark of Hope (Centelha da Esperança) de forma bem discreta, com pouquíssimas unidades a venda e nenhum evento de lançamento oficial.

É neste cenário que é anunciado a realização do Grand Championship SWD 2019, deixando muita informação incompleta, com uma pisada na bola atrás da outra, as quais tentarei resumir a seguir:

  •  Anúncio do torneio, com informação de data, 29 de novembro a 1 de dezembro, número total de vagas: 400 (somando Keyforge, X-Wing, Destiny e L5R, sem especificar a distribuição), e local, Clube Nerd, uma loja a ser inaugurada, não foi informado por exemplo como seria os kits de quem adquirisse ingressos premium;
  • Em 23 de setembro têm-se início das vendas de ingressos, 1º lote (sic). Menos de uma semana depois, em 27 de setembro – Ingressos esgotados!! (Como assim? Não eram 3 lotes?!!!);
  • Não foram dados detalhes de como seriam os eventos paralelos (valor de inscrição, premiação, formato, etc.);
  • Distribuição de ingressos dispare entre as comunidades, indicando falta de planejamento e conhecimento sobre o público alvo;
  • E para fechar com chave de ouro, poucos dias antes do início da competição, foi anunciada mudança de local e das datas, sendo encurtado em um dia, começando agora no dia 30 de novembro e finalmente foi divulgado a imagem do playmat do kit de inscrição premium:

Depois dessa avalanche de boas notícias, eis que chega o grande dia, até parece que foi tudo intencional, um teste para aferir nossa lealdade ao joguinho, e nos é revelada nossa “amazing prize wall”!

Cada evento paralelo no formato standard, custava 15 reais de inscrição, e se eu quisesse experimentar um novo formato, 40/40 ou Alliance, teria que desembolsar o dobro desse valor, para pegar um valor dobrado de tickets pra poder gastar na “amazing prize wall” (sic), sério isso galápagos?!

Dito tudo isto, você pode estar pensando: “o Destiny morreu”.

Se havia algum jogador teimoso que ainda não tinha percebido, não existe mais.

Mas não meu amigo, o Destiny não morreu (ainda), apesar de todos os esforços o Grand Championship SWD 2019 foi um evento incrível, não apenas pelo jogo, que é excepcional, mas principalmente pela comunidade do Destiny, uma galera nota 1000 de vários cantos do Brasil.

O que dizer da turma do SWDBR que fez uma cobertura gigante de todo torneio, com apoio do Rogério Del Rey, e ainda organizaram uma sexta feira de torneios paralelos no Clube Nerd, não deixando na mão quem se planejou para os três dias de evento prometido, e ainda confeccionaram um troféu para o nosso campeão em tempo recorde, já que, pasmem, o troféu oficial do torneio não seria entregue no dia do evento.

Do nosso campeão 2018, Bruno Casanova, que nos presenteou com cartas promos e brownies, do staff (Tairã, Olivia e Lucas) que manteve tudo organizado sem perder a simpatia, e de todos os competidores, gente do nordeste, sudeste, sul, centro oeste, trocando experiências, dando risadas, vocês todos fizeram deste um torneio inesquecível, e fico muito feliz de ter feito parte disto. Espero profundamente que a galápagos aprenda com os erros deste ano para que o torneio de 2020 seja ainda melhor.

Voltando ao Grand Championship SWD 2019, tivemos 55 pessoas inscritas para o evento principal, e 54 compareceram, no primeiro dia de evento tivemos 7 rodadas de suíço com corte para o top 16, no segundo dia, como se segue:

GRAND CHAMPIONSHIP SWD 2019 – TOP 16 (Suiço)
Pos. SuiçoJogadorDeckLink
Fernando CaprinoAphra-Phasma-Sentinel-GDDeck
André TosetoReyloDeck
André Belotee4-LOM-Grievous-SentinelDeck
Clauber AlexReyloDeck
Luis Guilherme Dantona GomeseAphra-Grievous-SentinelDeck
George FelipeeMaul-MandalorianDeck
Diogo Costa da SilvaeSnoke-Mudtrooper-MandalorianDeck
Victor Vitiello SilvaChopper-DroidsDeck
Evandro Siqueira CamposAphra-Phasma-Sentinel-GDDeck
10ºJefferson Olivae4-LOM-Grievous-SentinelDeck
11ºRodrigo Antonio FigueiredoeAphra-Grievous-SentinelDeck
12ºBeatriz MelloChopper-DroidsDeck
13ºBruno CasanovaReyloDeck
14ºRoney PeresReyloDeck
15ºBernardo Pereira CoelhoChopper-DroidsDeck
16ºIan Fonseca Araújo NogueiraAphra-Phasma-Sentinel-GDDeck

 

Fiquei surpreso em não ver nenhum deck mill, o meta atual está muito focado em suportes pesados, (fist e megablaster), sendo que quase metade do top 16 são decks voltados principalmente neste objetivo, descer um suporte de preferência no turno 1 e usar medidas desesperadas nos do oponente.

Foram poucas surpresas, mas posso destacar o deck do George (eMaul/Mandalorian) que fez bonito no evento, sendo eliminado pelo campeão André Belote já no top 8, decks de Vader (tomei uma surra de um ainda na quarta rodada do suíço, com direito a “Fear and Dead Men” e Vader Fist no turno 2) e de Palpatine ficaram pelo caminho, Snoke esteve bem menos presente este ano, mas ainda figurou no Top 16 com a companhia do Mudtropper e Mandalorian, num deck pilotado pelo Diogo.

Do lado dos heróis, nada de Yoda, estamos na época dos droids (R2-D2, C-3PO e Chopper) que após a conquista do mundial conseguiram emplacar 3 decks no top 16 deste Grand Championship, mas foi o máximo que conseguiram.

Também tivemos sabres de luz (além do Maul), com a dupla preferida da Disney atualmente, Rey e Kylo, emplacaram 4 decks no top 16, 2 no top 8 e um no top 4, foi o deck escolhido pelos finalistas de 2018, Casanova e Tosseto, que conseguiu levar o seu até o top 4.

Gostaria de parabenizar o nosso campeão, André Belote, que jogou o fino do Destiny, mostrando-se afiado mesmo depois de uma pausa após os regionais, que jogada linda aquela na final: Jogou medidas desesperadas pra sumir com o suporte do oponente, desce embargo e nomeia medidas desesperadas e joga seu suporte sem risco de perde-lo, surpreendendo a todos que estavam assistindo à partida. Por jogar com o mesmo deck do Ian, posso imaginar que aquilo bagunçou todo o planejamento dele naquela partida, nem que tenha sido por um turno, e foi determinante para o título.

“A força é forte em minha família.”

Luke Skywalker

Compartilhe: