Novembro 29, 2020

Turno Zero

Notícias Completas mundo

As empresas aderem à tendência de subsídio antecipado de Natal. A maioria dos pagamentos acontece no final de novembro – Executive Digest

O pagamento do subsídio de Natal pelas empresas aos seus colaboradores realiza-se normalmente em Dezembro, designadamente de acordo com a lei, até ao dia 15 desse mesmo mês, no entanto a grande maioria das empresas contactadas pela ‘Negócios’ afirmam que o farão ainda no final de novembro.

Segundo a mesma publicação, a primeira a avançar com esta medida, que visa dar uma ajuda precoce em momentos visivelmente difíceis, foi a Navigator, que pagou o subsídio aos seus 3.200 trabalhadores em outubro.

«O pacote de benefícios, no valor agregado de cerca de 10 milhões de euros, inclui adiantamento: o subsídio de Natal a todos os seus trabalhadores, férias não remuneradas e folgas acumuladas em 31 de dezembro de 2019, bem como um bónus extraordinário”, revelou o empresa em comunicado citado pelo jornal.

Nesse sentido, foi proposto pelo Fórum de Competitividade que mais empresas sigam o mesmo exemplo, antecipando o pagamento do subsídio de Natal. Segundo Negócios, nenhum deles revelou ter começado a pagar em outubro, mas a grande maioria afirma que o fará no final de novembro, ao mesmo tempo que o salário.

É o caso da Frulact, o que indica que este é normalmente o procedimento habitual da empresa, segundo o “presidente”, João Miranda, que revela que a empresa “está totalmente alinhada com as orientações do Fórum de Competitividade”, revela ‘ Negócios ‘.

A Vodafone permite ainda que os colaboradores possam candidatar-se a subsídios antecipados, embora observem que não houve alteração das condições contratuais. «Somos sensíveis à situação individual dos colaboradores, sejam dificuldades financeiras ou outras», afirma.

Por sua vez, a empresa de tecnologia Arquiconsult mantém o método já aplicado: o pagamento do subsídio de Natal em novembro, bem como o reajuste salarial de 4%, ocorrido em setembro, segundo o mesmo jornal, que cita o seu presidente, Rui Santos. «Existe, no entanto, um mix de colaboradores que recebem todos os subsídios de Natal em duodécimos», frisa o responsável.

.js">