As seleções do Brasil e da Argentina não vencem a Copa do Mundo há 20 anos e devem fazer o possível para derrubar os gigantes europeus.

Vinte anos se passaram desde que a América do Sul venceu a Copa do Mundo pela última vez.

Brasil conquistou o quinto título no Japão E a Coreia do Sul em 2002. Desde então, cada uma de suas campanhas na Copa do Mundo terminou com um encontro com uma equipe da Europa Ocidental nas oitavas de final.

4

O brasileiro Kafu venceu a Copa do Mundo de 2002, a última vez que um país sul-americano a venceuCrédito: AP: Associated Press

França em 2006, Holanda em 2010, Alemanha em 2014 – com um estilo deslumbrante em casa, e a última derrota para a Bélgica há três anos.

A história da argentina Não seriamente diferente. É verdade que eles venceram a Suíça, a Bélgica e a Holanda na final de 2014, mas suas campanhas nas últimas duas décadas foram todas para a Europa – em 2006, 10 e 14 para a Alemanha e finalmente para a França.

Há mais quatro rodadas de qualificação, duas Brasil E a Argentina já registrou sua vaga no Catar. Estão ocupados com propaganda.

O Brasil está invicto, e Argentina Não perde uma única partida há dois anos e meio. Ambos podem avançar para o Qatar com alguma confiança – pelo menos não porque são defensivamente bons.

Os graus são frequentemente obtidos por meio de defesas rígidas. Neste momento o Brasil raramente vê a oportunidade de sofrer um gol, enquanto a Argentina está muito avançada neste campo.

A origem de Emiliano Martinez de Aston Villa Tem sido importante. Ele parece o goleiro de primeira classe da Argentina por décadas, e o ex-jogador e grande analista Diego Lador o nomeou a personalidade do futebol do país em sua coluna de jornal.

Há outra razão para os gigantes sul-americanos acreditarem – os euros do ano passado. A partida foi emocionante e teve seus momentos.

Mas não é realmente uma grande equipe. Prova, talvez, de que os vencedores não têm certeza do lugar da Itália na Copa do Mundo.

Um continente com considerável força em profundidade, mas permaneceu a impressão de que o Catar não tinha um verdadeiro melhor competidor.

Em um show no Euro, em um dia bom, podem haver dez times capazes de vencer o Brasil ou a Argentina.

Por outro lado, não existe uma competição que os sul-americanos não tenham a capacidade de vencer.

No entanto, jogar no Qatar é um fator totalmente novo. Esta é uma Copa do Mundo que acontece em novembro e dezembro, em vez dos tradicionais junho e julho.

Esta é uma grande mudança – independentemente dos problemas com a forma como aconteceu, promete ser uma boa mudança.

A Argentina venceu a Copa América no verão passado e espera se mudar para o Catar

4

A Argentina venceu a Copa América no verão passado e espera se mudar para o CatarCrédito: AFP
Emiliano Martinez é finalmente classificado como No. 1 na Argentina

4

Emiliano Martinez é finalmente classificado como No. 1 na ArgentinaCrédito: AFP

O grande problema de todas as últimas Copas do Mundo são as queimaduras no final da temporada. Não há melhor exemplo em 2014 do que a Argentina. É verdade que eles chegaram à final.

Mas para ir tão longe, eles precisam se tornar uma equipe completamente diferente daquela que merecem.

Sob o comando do ex-meio-campista do Leeds e Sheffield United Alejandro Sabella, a Argentina se classificou bravamente por 4-3-3. Lionel Messi, Sergio Aguero e Gonzalo Higuaín estão na liderança, e o trio de meio-campo Angel Di Maria. Eles desistiram de alguns – mas ainda assim marcaram muito.

Para vir para a partida, Sabella percebeu que seus jogadores não estavam qualificados o suficiente para jogar dessa forma. A Argentina apertou.

Em quatro jogos a eliminar, três foram para a prorrogação e marcaram dois golos. Di Maria desabou, Aguero não estava em lugar nenhum e Messi estava se racionando.

No Catar, o esgotamento da temporada não vai acabar. Os melhores jogadores do planeta estarão no meio da temporada e devem estar muito próximos do auge de suas forças.

Deve ser melhor do que qualquer coisa que os europeus mostraram em euros no ano passado. Vinte anos depois, a América do Sul deve criar algo especial para ganhar sua primeira Copa do Mundo.

Os gigantes europeus do Brasil e da Argentina não têm medo de nada, já que a Itália está lutando para se classificar.

4

Os gigantes europeus do Brasil e da Argentina não têm medo de nada, já que a Itália está lutando para se classificar.Crédito: PA

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero