Bolsanaro rejeita ajuda para inundações na Bahia; Líder baiano se opõe

Por Gram Slater | Reuters

RIO DE JANEIRO – O presidente brasileiro Jair Bolsanaro rejeitou na quinta-feira a ajuda argentina, dizendo que seu país não precisava de ajuda para lidar com as enchentes que devastaram partes do nordeste do país e mataram dezenas.

Seus comentários geraram rápida condenação do severamente afetado governador do estado da Bahia, que disse que as autoridades locais receberiam ajuda de qualquer país e que os estrangeiros deveriam relutar em entrar em contato diretamente com o estado.

Até agora, pelo menos 24 pessoas morreram e dezenas de milhares estão desabrigadas por causa do recorde de chuvas no Nordeste, em alguns casos causando o rompimento de represas e o aumento dos rios metros acima de seu tamanho normal. O governador da Bahia, Rui Costa, classificou-o como o “pior desastre” da história do estado e disse que grande parte da Bahia foi “bombardeada”.

Enquanto isso, Bolzano enfrentava críticas por continuar suas férias na praia no sul do estado de Santa Catarina, a milhares de quilômetros da zona afetada.

Em uma postagem no Twitter na quinta-feira, ele disse que o governo argentino se ofereceu para enviar 10 pessoas para instalar abrigos temporários, fornecer assistência psicológica e auxiliar na logística do esforço de resgate.

No entanto, fornecer assistência era “muito caro para o Brasil”, escreveu ele, acrescentando que as autoridades brasileiras já estavam prestando serviços. Ele disse que o Brasil já aceitou doações da agência de ajuda externa do Japão e pode aceitar a ajuda da Argentina se necessário.

“O governo brasileiro está aberto a ajudas e doações internacionais”, escreveu.

Desde a eleição do presidente de centro-esquerda Alberto Fernandez em 2019, o Brasil de extrema direita do Bolsanaro tem uma relação fria com a Argentina. Bolzano já havia chamado Fernandez de “bandido vermelho”.

Costa, o governador da Bahia de esquerda e comentarista político do Bolsanaro, disse em sua própria postagem no Twitter que o país aceitaria diretamente a ajuda de qualquer potência estrangeira.

“Falo para todos os países do mundo: não há necessidade de mandar nenhum tipo de ajuda por meio dos diplomatas brasileiros neste momento, a Bahia vai aceitar diretamente”, escreveu.

O Ministério das Relações Exteriores da Argentina se recusou a comentar os relatórios de Bolzano e Costa.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

TURNOZERO.COM PARTICIPE DO PROGRAMA ASSOCIADO DA AMAZON SERVICES LLC, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE DE AFILIADOS PROJETADO PARA FORNECER AOS SITES UM MEIO DE GANHAR CUSTOS DE PUBLICIDADE DENTRO E EM CONEXÃO COM AMAZON.IT. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.IT, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZON, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS EM COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO NOSSO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DA AMAZON.IT E DE SEUS VENDEDORES.
Turno Zero