Como três séries revisam o histórico para mostrar os sistemas de energia de 24.07.2020

O enredo que prevê uma versão alternativa da história não é exatamente novo. A novidade é que, desde o final do ano passado até hoje, três grandes séries decidiram fazer o chamado “revisionismo histórico”: “The Guardians” (HBO), “Hollywood” (Netflix) e “The Hunters” (Amazon Prime Video).

Cada história transformou a maneira como a conhecemos para mostrar como os sistemas de energia funcionam, e o Hollywood Reporter conversou com os criadores e escritores e para entender como foram seus processos.

‘Relojoeiros’

Uma espécie de sequência dos quadrinhos icônicos de Alan Moore e Dave Gibbons, a série Damon Lindelof fez uma conexão com um dos episódios mais brutais da história americana: Massacre em Wall Street, quando uma multidão de brancos atacou e destruiu o condado de Greenwood, um próspero bairro negro da cidade de Tulsa, deixando centenas de mortos e milhares de desabrigados.

A partir daí, os “guardas” atraíram uma forte e tópica conspiração de tensão racial, explorando sua conexão com a polícia e grupos como o Ku Klux Klan. Também diz muito sobre como o trauma ainda nos afeta, explicou Cord Jefferson, um dos escritores da série.

Precisamos entender que as sementes para o que está acontecendo foram plantadas séculos atrás, e ainda sentimos seus efeitos. A idéia de que a história é o passado e que não importa mais é completamente incorreta, tanto pessoalmente quanto no nível nacional.

‘Hollywood’

Miniaturas de Ryan Murphy (“Glee”, “The American Horror Story”, etc., etc.) e Ian Brennan cinema é uma utopia que imagina como seria Hollywood se várias barreiras desabassem na era de ouro. E se lá, uma mulher dirigisse um grande estúdio, e os negros e o LGBTQ + se tornassem os protagonistas dos grandes sucessos de bilheteria?

O resultado é uma produção otimista que até reexamina as histórias de duas personalidades reais: a atriz Anna May Wong, uma estrela de ascendência chinesa que foi negligenciada em muitos papéis; e o ator Rock Hudson, que foi impedido de assumir publicamente sua homossexualidade.

Queríamos mostrar como seria o mundo se certas pessoas tomassem as decisões certas e corajosas e realmente arriscassem criar um espaço mais inclusivo naquela cidade. Sabíamos desde o início que, embora escrevêssemos sobre os anos quarenta, na verdade estávamos conversando sobre Hollywood e sobre desigualdade de poder, mau comportamento, manipulação e abuso em um setor que não era muito bom nisso. polícia.
Ian Brennan, co-criador da série

“Caçadores”

A série da Amazon colocou Al Pacino no comando de um grupo que tem uma missão muito clara: caçar nazistas que se infiltraram nos Estados Unidos. Seu criador, David Weil, projetou “Hunters” em homenagem a sua avó, uma sobrevivente do Holocausto.

Acredito que quando o autor conta a história do trauma, cabe a ele dar a cura. Os elementos fictícios da série, especialmente o Guardian Group, foram criados em um esforço para servir ao desejo de recuperar o poder e revisar a história da ‘justiça perdida’.

Embora fictícia, a produção esclareceu uma operação muito real que ocorreu nos EUA do pós-guerra: Operation Paperclip, que trouxe vários cientistas alemães para o país, incluindo alguns culpados de crimes de guerra. Weil ficou surpreso com o fato de muitos espectadores não saberem que isso é verdade. “Isso nos obriga a perguntar por que pensamos que algo assim não pode ser verdade, além de repensar o governo, nossa história, nossos sistemas de poder e nossa sociedade”.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero