Novembro 24, 2020

Turno Zero

Notícias Completas mundo

Covid-19: A reconfiguração nacional ainda é uma medida minoritária na Europa – hoje

Segundo o presidente francês, Emmanuel Macron, que falava em discurso transmitido pela televisão, é necessária uma “parada brutal dos contágios” para evitar o colapso dos hospitais.

O novo confinamento, que vai até pelo menos 1º de dezembro, começa sexta-feira, mas as escolas continuam abertas por enquanto.

As novas medidas na França prevêem o fechamento de bares e restaurantes durante o período do novo confinamento.

Na Europa, apenas o País de Gales (Reino Unido) e a Irlanda mais uma vez confinaram toda a sua população antes do anúncio de quarta-feira pelo presidente francês Emmanuel Macron.

Para tentar lidar com uma segunda onda da doença covid-19 (causada pelo novo coronavírus SARS-Cov-2), os quase cinco milhões de irlandeses foram os primeiros na Europa a entrar neste novo período de confinamento na última quinta-feira.

A medida foi sancionada por um período de seis semanas.

Os quase três milhões de galeses, porém, foram para o confinamento no dia seguinte (sexta-feira passada) e deverão ficar em casa o maior tempo possível por cerca de duas semanas, ou seja, até 9 de novembro.

No entanto, ao contrário do confinamento promulgado na primavera passada, as escolas permanecem abertas.

Em menor escala, cerca de 150 mil habitantes de três concelhos do norte de Portugal (Lousada, Felgueiras e Paços de Ferreira) também entraram na passada sexta-feira em “semi” confinamento.

.js">

Na Alemanha, as autoridades decretaram hoje o fechamento parcial, a partir de segunda-feira e por quatro semanas, de restaurantes, bares, teatros, instalações esportivas, culturais e de lazer, mas sem avançar para uma reconfiguração da população.

Os cidadãos são convidados a evitar viagens desnecessárias.

As escolas permanecerão abertas, assim como todas as lojas, mas com regras mais rígidas.

Fora da Europa, e nos últimos meses, novos períodos de confinamento foram decretados em países como Israel e Líbano, em cidades como Auckland (Nova Zelândia) e Melbourne (Austrália), ou em grandes áreas nas Filipinas.

Se a renovação total da população ainda é uma opção minoritária na Europa, as medidas de toque de recolher estão aumentando.

Antes de voltar a confinar, a França impôs a medida no dia 17 de outubro, das 21h às 6h, nas cidades mais afetadas pelo novo coronavírus. Uma semana depois, a medida seria estendida a dois terços da população francesa.

Espanha, Bélgica, Luxemburgo, Eslovênia, Eslováquia e República Tcheca também decretaram toques de recolher noturnos nacionais, enquanto na Itália e na Grécia a medida cobre apenas grandes cidades ou regiões específicas.

Esta medida é frequentemente apresentada como último recurso para evitar mais confinamento da população total.

Geralmente vem acompanhada de outras medidas restritivas que são aplicadas durante o dia, como, por exemplo, a obrigatoriedade do uso de máscara de proteção individual, o fechamento de bares e locais culturais e a imposição de limites para aglomeração de pessoas.