Ex-secretário (96) campo nazista no tribunal, ‘Não sei nada sobre terror’

O Élder Irkard F mora em uma casa de repouso perto de Hamburgo. Existem poucas informações pessoais sobre ela. Ela cresceu em um vilarejo no leste da Alemanha e recebeu sua educação em administração após a escola primária. Ele foi trabalhar como estenodatilógrafo em um banco, que tinha muitos negócios com a SS. Por essa estrada, Irmkort F provavelmente acabou no campo nazista de Stuttof.

‘Corvo na máquina de matar’

Stuttof é um campo de concentração perto de Gdansk, na Polônia ocupada pelos nazistas. Pelo menos 65.000 prisioneiros foram mortos aqui, a maioria judeus. Irmkard F. serviu aqui de junho de 1943 a abril de 1945. Ela se tornou a secretária do comandante do campo e também conheceu seu noivo, um oficial não SS.

Todas as cartas do comandante do campo, junto com outros nazistas, passaram por Irmkard F. Ela escreveu o que ele pediu. De acordo com os promotores, ela era um corvo na máquina de matar, à qual ela agora deve responder.

Perguntado anteriormente como testemunha

Esta não é a primeira vez que Irmkart F entra em contato com a justiça alemã no pós-guerra. Ela foi interrogada várias vezes no passado, pela primeira vez em 1954. Irkard F. admitiu que toda a correspondência com a liderança da SS passou por ela. Mesmo assim, o ex-secretário insistiu que nada sabia sobre as atrocidades no campo.

Sua declaração foi em vão: Irmgard F foi convidada a testemunhar, não como suspeita. Durante décadas, na República Federal da Alemanha, uma pessoa só poderia ser processada se estivesse diretamente envolvida nas mortes. Isso mudou nos últimos dez anos, em parte devido a uma mudança na lei.

Assim, 76 anos após o fim da Segunda Guerra Mundial, começa o julgamento de Irmcord F. Pode parecer estranho, mas a mulher de 96 anos está tentando ser menor. Na época dos fatos, ela ainda não tinha 21 anos, e nessa época alguém já havia atingido a maioridade.

O julgamento estará disponível no próximo ano

O guarda do campo Bruno Dave também foi julgado como menor. Ele tinha 17 anos quando entrou no estúdio. Day, agora com 94 anos, foi acusado de cumplicidade nas mortes de mais de 5.000 prisioneiros no ano passado. Ele recebeu uma prorrogação de 2 anos. O pedido foi de 3 anos de prisão, mas o juiz levou em consideração a idade e os problemas de saúde.

O julgamento no julgamento contra Irmcord F é esperado no próximo ano.

Veja também – Relativas mentiras alegram-se na memória do Holocausto: ‘Eu posso tocá-las agora’

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero