funcionário público pego roubando eletricidade para minerar Bitcoins

A popularidade e o aumento do valor das criptomoedas também deram origem a histórias incomuns que nos mostram que as pessoas são capazes de qualquer coisa para “enriquecer”.

Recentemente, divulgamos o caso de um funcionário do Politécnico de Setúbal que usou a rede para minerar criptomoedas. A situação que estamos contando agora aconteceu nos Estados Unidos, onde também um funcionário público foi pego roubando energia para minerar Bitcoins. De acordo com os dados coletados, o sujeito desviou cerca de 6.000 dólares em energia elétrica.


Não é novidade para ninguém que a mineração ilegal de criptomoedas é uma realidade cada vez mais presente. Mas muitas dessas ações são descobertas pelas autoridades e, consequentemente, divulgadas na mídia.

Essa prática é particularmente atraente devido à valorização atual das moedas digitais. Um Bitcoin vale, neste momento, quase 38 mil euros, segundo o CoinMarketCap. Como tal, sempre há caras com certas habilidades para contornar certas regras e que conseguem extrair ilegalmente criptomoedas para seu próprio prazer.

Empregado pego roubando energia para minerar Bitcoins

Depois que um cara usou ilegalmente a rede elétrica do Starbucks nos EUA para extrair moedas digitais, outra história inusitada sobre essa atividade vem do país.

Desta vez, foi um funcionário público do condado de Suffolk, em Nova York, que acabou sendo pego em flagrante roubando eletricidade da instituição para minerar Bitcoins. De acordo com os detalhes revelados por NBC News, o cara, um supervisor de TI, fraudou o condado de US $ 6.000 em energia.

As autoridades disseram que o oficial foi acusado de usar seu local de trabalho para instalar dezenas de equipamentos de mineração de criptomoedas na secretaria municipal e usar milhares de dólares em eletricidade para operá-los.

O nome do cara é Christopher Naples e, de acordo com o procurador do condado de Suffolk, Timothy Sini, ele trabalhava como supervisor de operações de tecnologia da informação. Ele agora é acusado de vários crimes, incluindo corrupção, roubo e fraude nas comunicações.

Nápoles, de 42 anos, esteve presente no tribunal na última quarta-feira, mas foi libertado sob fiança. De acordo com o procurador, o fiscal, que trabalha para o município desde 2000, instalou 46 lajes de lavra em diversos locais. E tudo indica que alguns equipamentos já foram instalados desde fevereiro.

Em comunicado, Sini disse que:

A mineração de criptomoedas requer uma quantidade enorme de recursos e os sistemas precisam funcionar para cobrir todos os custos de eletricidade e refrigeração. [Naples] encontrou uma maneira de fazer isso. Mas, infelizmente, foi às custas dos contribuintes.

Com esses crimes, o funcionário pode ser condenado a 15 anos de prisão.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero