Turno Zero

Notícias Completas mundo

Helena Coelho fala sobre a reação de Cristina Ferreira à gravidez: “Você disse que estava tudo bem” – Celebridades

Num curto espaço de tempo, foram anunciadas duas novidades: “Viva a Vida”, o novo programa apresentado por Helena Coelho e Rúben Rua na tarde de sábado na TVI, com estreia dia 26 de setembro, e o bebé de Helena Coelho e Paulo teixeira, segredo bem guardado até 4 de outubro, data escolhida por ambos para dar a notícia. Diante de uma gravidez que surge após assumir um novo desafio de carreira a convite de Cristina Ferreira, o influenciador conta como o diretor de Ficção e Entretenimento da TVI reagiu à novidade.

“Você disse que estava tudo bem. Você teve a melhor reação ”, relembrou Helena Coelho em entrevista à edição de outubro da revista Cristina. A influenciadora admite que antes de lhe dizer temia que Cristina não aceitasse, mas não hesitou e assim que soube que estava grávida ligou para Cristina Ferreira.

Na entrevista, anunciada na capa com “de Sátão para o sucesso Helena Coelho a nova cara da televisão portuguesa”, a influenciadora que vivia em Sátão, vila do distrito de Viseu, conta também como foi o momento em que recebeu o convite para apresentar o programa “Viva a Vida”, junto à Rua Rúben.

.js">

“Eu chorei um pouco. De felicidade. Eu realmente quero honrar este convite e farei o meu melhor ”, disse e acrescentou sobre o parceiro: “Foi minha paixão”.

Jornada de Helena Coelho começou em Sátão, onde viveu com os pais que a certa altura se separaram, mas foi em Lisboa que se formou em Engenharia Química – que não exerceu -, época em que criou o blog. Depois mudou-se para o YouTube, passou a marcar digitalmente e agora, numa nova fase da sua vida, aposta na televisão.

Gabriel Ana

"Estudante apaixonado. Nerd do Twitter. Viciado em bacon ávido. Desordeiro típico. Pensador. Webaholic. Empreendedor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Previous Post “No próximo mês podemos ter dois mil casos” – Observador
Next Post O subsídio de desemprego mínimo passará para 505 euros – ECO