Hollywood: por que a indústria cinematográfica está mais dependente da tecnologia de videogame do que nunca – 19 de julho de 2020

A tecnologia usada nos videogames está mudando a maneira como os filmes são feitos em Hollywood.

Essa é a opinião de Kim Libreri, um profissional premiado em efeitos visuais que trabalhou em vários filmes conhecidos, como Inteligência artificial e Planeta dos Macacos: Guerra.

Há nove anos, a Libreri trabalha com o Unreal Engine, uma tecnologia conhecida por seu uso em jogos de computador, especialmente conhecida Fortnite.

Essa tecnologia, de propriedade da Epic Games, oferece os componentes e ferramentas necessárias para um desenvolvedor de jogos de computador, mas também atrai cada vez mais produtores de cinema e televisão.

Sua versão mais recente, Unreal Engine 5, estará disponível em 2021 e permitirá que artistas visuais como Libreri coloquem gráficos e imagens diretamente em cena sem muita dificuldade.

“Na produção tradicional de filmes, um diretor e um diretor de fotografia podem filmar uma cena e, posteriormente, entregar essas cenas e instruções criativas a uma equipe de artistas e designers de realidade virtual, que enriquecem esse material com efeitos visuais e imagens geradas por computador durante uma etapa de produção separada”, diz Libreri, atualmente responsável. diretor de tecnologia da Epic Games.

Mas com o uso do Unreal Engine, a colaboração entre diretor, diretor de fotografia, designer de produção e equipes de realidade virtual pode ser trabalhada simultaneamente como um processo interativo no set.

“O Unreal Engine 5 promete melhorar ainda mais o processo artístico, tornando mais fácil para o mundo virtual desenvolvido para filmes e televisão em tempo real filmar e executar com o mesmo mecanismo de jogo”, explica Libreri.

Anthony Hunt é o CEO da Cinesite, um grupo multinacional de entretenimento digital cujo trabalho com efeitos visuais inclui sucessos de bilheteria como Vingadores Ultimato. Dia da Independência: Ressurreição. Homem de Ferro 3 e outros.

A empresa recentemente usou o Unreal Engine para um show ao vivo no parque temático, que inclui cenas de corrida, batida e desafio à morte.

“Tudo acontece na sua frente, com artistas ao vivo, extras interativos e uma enorme tela de LED, tornando impossível determinar onde a ação ao vivo termina e onde a tela começa”, diz Hunt.

Extras e multidões virtuais

A indústria cinematográfica empresta há muito tempo a tecnologia da indústria de videogames.

Os processos de produção, como o mapeamento de cenas em 3D usando fotografias, storyboards e animações, usam sistemas semelhantes aos desenvolvidos para criar jogos.

Mas é provável que os desafios da produção de filmes e televisão estejam sob as restrições que eles impuseram coronavírus acelerar o uso da tecnologia de jogos.

Por exemplo, os mecanismos de videogame são especialmente bons na criação de cenas em que grandes multidões aparecem.

“O suplemento precisa ser alimentado, vestido e colocado em um set de filmagem. Agora podemos reproduzir grandes cenas lotadas com a tecnologia de computador e apenas nossos principais atores estão em primeiro plano”, diz Hunt.

Um bom exemplo disso pode ser encontrado em homem foguete, um musical sobre a primeira fase da carreira de Elton John.

Há uma cena representando o Los Angeles Dodgers Stadium totalmente carregado, mas, na verdade, o ator Taron Egerton se apresentou no Shepperton Studios, na Inglaterra. As multidões que aparecem são gráficos 3D projetados para fazer parte de uma cena maior.

Decorações geradas por computador podem ser combinadas com paredes gigantes de LED formadas pela fusão de várias telas individuais.

“As paredes de LED estão se tornando cada vez mais populares na produção de filmes e televisão porque permitem que os cineastas capturem efeitos visuais na câmera e manipulem objetos digitais em uma cena em tempo real”, diz Libreri.

“Painéis de LED como os que vemos neles Mandalorijanac, da Disney (uma série de ficção científica que faz parte da família Star Wars), será de grande benefício para as produções no set, quando as restrições começarem a aumentar, pois os cineastas podem reduzir as viagens criando fundos digitais fotorrealistas para imitar qualquer local ”, continua ele.

“Depois que as restrições de filmagem forem suspensas, os diretores terão um plano claro sobre o que e como filmar seus filmes e séries de televisão, porque eles já fizeram isso em um computador”, diz Hunt.

Personalidades em crescimento

O que isso significa para os atores, equipe principal e equipe de suporte que trabalham no setor?

“Existe a possibilidade de que as necessidades de equipamentos de produção possam mudar de alguma maneira. Algumas funções podem mudar com o uso contínuo de imagens geradas por computador, e outras podem ser criadas”, diz Daniel Green, diretor do Programa de Gerenciamento de Indústria do University Entertainment Center. Carnegie Mellon.

Ele acrescenta que, quando a produção voltar ao normal, o setor precisará ser consolidado e modificado para garantir a prioridade da segurança no emprego.

Os diretores e produtores do estudo não tomarão mais decisões baseadas apenas na visão artística e nos custos de produção.

“Eles agora estarão em contato próximo com as autoridades de saúde pública para garantir que os atores e toda a equipe possam ter um ambiente de trabalho seguro”, acrescenta ele.

Green também acredita que, embora as imagens geradas por computador ajudem a criar mundos realistas divertidos, é crucial contar uma boa história.

“O uso de IGCs e produção virtual, como foi feito no remake de Rei Leão, eles podem aumentar o que pode ser mostrado na tela, mas no final o público ainda vai querer se divertir com uma história que os surpreenda ”, diz ele.

Travis Cloyd, diretor de tecnologia da CMG Worldwide, empresa que representa 1.700 celebridades, atletas, músicos, marcas e figuras históricas, vê outro uso nos mecanismos de videogame.

Ele vê uma grande oportunidade de negócios se optar pela “ressurreição” de figuras históricas e figuras famosas do passado, como James Dean ou Ross Parks através de “gêmeos digitais”.

Ele observa que o público já tem uma consciência preconcebida dessas celebridades. “Eles sempre ressoam com o público, e a proliferação de novas plataformas em meio a uma pandemia trará novas oportunidades para seu uso em um grande número de meios de comunicação”, diz Cloyd.

Tecnologias como o Unreal Engine provavelmente serão usadas para fazer esse processo acontecer.

Como o cinema é um negócio, espera-se obviamente que a nova tecnologia também economize tempo e dinheiro.

“Menos coisas precisarão ser tratadas no set e na pós-produção. E menos precisarão de viagens e filmagens caras. Quando as pessoas experimentam essa nova maneira de trabalhar, elas a consideram muito mais eficiente e lucrativa”, diz Libreri.

“É seguro dizer que a produção virtual chegou para ficar”, prevê ele.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero