Janaina Paschoal: ‘Eduardo quer derrubar Bolsonaro para ficar com 22’ – 29.06.2020.

A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) acredita que o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) quer derrubar seu pai, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), para emergir como uma alternativa nas eleições de 2022. o advogado disse que seria uma tática do parlamentar contornar uma regra que impede que as crianças herdem seus pais em cargos executivos.

“Eu até falei sobre isso com [ex-] ministro [Gustavo] Bebianno antes de ele falecer. Está passando pela minha cabeça e é uma loucura, sei que Eduardo quer derrubar o pai para que aos 22 anos, com o discurso do golpe, ele possa se apresentar como uma alternativa “, afirmou o deputado em entrevista a Marie Clare.

Ela alegou que Eduardo Bolsonaro era um forte líder da ala do governo olavista e conversou com líderes internacionais para articulá-la.

“Eduardo tem muita influência sobre [deputado estadual] Gil Diniz (PSL-SP), em [deputado estadual] Douglas Garcia (PSL-SP). Sobre Edson Salomão, que é o chefe de gabinete de Douglas. A respeito de [deputada federal] Carla Zambelli (PSL-SP). Ele tem uma vantagem sobre eles. Ele foi para o exterior, visitou os líderes. Tudo me parece mais uma dinâmica que atende Eduardo do que seu pai ”, explicou.

Na opinião de Janain, a postura parlamentar está próxima do discurso usado pelo PT para apontar que a ex-presidente Dilma Rousseff foi vítima de um golpe em seu processo império. “O discurso do golpe é enorme para o PT, e os bolcheviques o usam desde o início do governo”, disse o advogado que criou o pedido que afastou Dilma da presidência.

“É um discurso que tende a chegar aos 22 anos e também será afetado. Drama. Esse garoto não ajuda nesse processo de derrubar o pai?”, Perguntou ele ao deputado. “Olha, eles cercaram meu pai, que quase morreu no país”, e então ele parece mais jovem, mais forte, em uma versão atualizada de seu pai que foi destruída em um golpe de Estado? Eu te desafio, não? “

Crítico do governo Bolsonaro, Janaina continua a defender a renúncia do presidente, dizendo que nenhum crime foi cometido durante seu mandato. “E eu vou dizer isso que?! É muito louco, muita confusão. Como as pessoas vão suportar isso por mais dois anos? Como as pessoas vão lidar com isso no meio de uma pandemia e, depois disso, com as consequências disso? “, Ele perguntou.

Ela acusou Jair Bolsonaro de influenciar as teses de Olav de Carvalho no governo, lideradas por Eduardo Bolsonaro – que, na sua opinião, alienariam os ideais bolonistas. “Eduardo [Bolsonaro]Sara [Winter], você mesmo Senhora Carla [Zambelli]“Então, de fato, não é um grupo de bolsonaristas”, ele se defendeu.

“É um grupo olavista que usa o presidente para tentar influenciar ou implementar um programa que não é dele, mas de Olavo. E o presidente? Não sei se ele não vê ou se seus filhos são muito dominantes. “, ele adivinhou.

Para o deputado, o grupo dificilmente pode se livrar da “dor e ódio do passado” e inclui o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub na lista. “Leva [ex] Ministro da Educação. Ele é um romântico que queria prender todos, criminosos; quem quer destruir a esquerda. Ele sofreu a perseguição que eu sofri – e ele é um professor universitário. Eu não acho que ele digeriu, você entende? E isso é terrível, alcançar o poder sem digeri-lo ”, disse ele.

“E não vai machucar seus inimigos, vai machucá-lo. Vejo isso no presidente, nos filhos do presidente. E de uma maneira muito característica no ex-ministro da Educação”, disse ele.

Deixe um comentário