Janeiro 18, 2021

Turno Zero

Notícias Completas mundo

Jornal Correio Centro-Oeste

(Artigo publicado no jornal CCO impresso em 21.11.2020.) – Edição 2078

Quando falamos da atenção à saúde do homem, principalmente se se trata de prevenção, logo pensamos no câncer de próstata, que, segundo o Instituto Nacional do Câncer José de Alencar Gomes da Silva (INCA) / Ministério da Saúde, o câncer é mais comum entre os homens e corresponde a quase 30% do câncer primário tumor.

No Brasil, estima-se que para cada ano do período 2020-2022. Ocorrem 625 mil novos casos de câncer, sendo o câncer de próstata o segundo mais comum (29,2%) em homens. Isso torna ainda mais evidente a necessidade de promover e conscientizar os homens sobre os cuidados com sua saúde, a fim de prevenir possíveis doenças. Para discutir mais este assunto, entrevistamos o urologista Perry Ribeir Roch Mel.

O Dr. Perry trabalhou como urologista durante 40 anos, frequentando um hospital, na Fumusa (fundação municipal de saúde e assistência social) e em seu consultório. Ele disse que costuma visitar uma média de 350 pacientes por ano e que pelo menos 30 desses pacientes foram diagnosticados com câncer, principalmente câncer de próstata.

Segundo ele, os homens ainda têm dificuldade em cuidar da saúde e em buscar atendimento urológico. Mas, apesar disso, atualmente tem havido um aumento significativo no atendimento devido às campanhas na mídia e à conscientização dos familiares que sempre falam sobre a importância da prevenção.

Como qualquer outro câncer, a prevenção é importante, afinal, quanto mais cedo for feito o diagnóstico, maiores serão as chances de cura, sobrevivência e qualidade de vida. “A vantagem da detecção precoce é que o paciente tem 100% de chance de cura. Em casos posteriores, de acordo com o estágio em que o tumor está, pode ser controlado”, explica.

PSA deve ser monitorado a partir dos 40 anos

De acordo com o Dr. Perry, o câncer de próstata geralmente afeta homens com mais de 50 anos, mas também há casos mais raros e anteriores que podem ocorrer a partir dos 40 anos. Portanto, a partir dos 40 anos, os homens devem controlar o PSA por meio de um exame de sangue, para monitorá-lo e preveni-lo.

Sabe-se também que o risco de desenvolver câncer aumenta se a pessoa tiver um parente de primeiro grau diagnosticado antes dos 65 anos. Portanto, quando há um parente próximo com a doença, outros homens devem se submeter a exames periódicos. “É obrigatório, desde a descoberta, que os homens da família trabalhem preventivamente a cada seis meses”, ressaltou.

No final da entrevista, o Dr. Perry enfatizou a importância da reeducação e da conscientização sobre os cuidados com a saúde masculina: “As orientações dos médicos, a conscientização e a reeducação para a saúde dos homens são extremamente importantes.”

Novembro azul

De acordo com o Departamento de Saúde, o Movimento Novembro Azul teve início em 2003 na Austrália, com o objetivo de chamar a atenção para a prevenção e o diagnóstico precoce de doenças que afetam a população masculina, com ênfase na prevenção do câncer de próstata. .

Segundo o INCA, 42 homens morrem de câncer de próstata todos os dias e cerca de 3 milhões vivem com a doença. É o tipo de câncer mais comum entre os homens brasileiros, depois do câncer de pele, que ocorre principalmente em homens mais velhos – cerca de 6 em cada 10 casos são diagnosticados em pacientes com mais de 65 anos.

Um dos aspectos preocupantes do câncer de próstata não é a mortalidade, mas a cultura do abandono e do preconceito em relação aos exames preventivos. Nesse sentido, a campanha Novembro Azul existe para alertar e estimular a população masculina a cuidar da saúde.