Marcelo decreta estado de emergência e admite terceira vaga entre janeiro e fevereiro

O secretário-geral do PCP acusou hoje o presidente do PSD de pensar que descobriu a “pólvora” ao criticar o congresso comunista e disse que “não gostaria de regressar” numa altura em que as reuniões do partido eram proibidas.

Em declarações a jornalistas à margem de encontro com a Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Similares (AHRESP), Jerónimo de Sousa considerou que Rui Rio está “em destaque, tendo em conta a sua posição de colocar o extremo-direito”.

“Como tem sido criticado por isso, pensa que encontrou aqui a descoberta da pólvora, atacando o PCP e o seu congresso”, disse, indicando que o social-democrata o preocupava ao dizer que “se fosse, proibiria o congresso” .

“Nem sequer invoco a lei, nem sequer invoco a Constituição da República, que proíbe qualquer proibição à ocorrência de acontecimentos como este, que é o congresso do Partido Comunista Português, e o que me estremece é que Fui dirigente sindical antes do 25 de abril e não só anunciei, mas praticava a proibição das assembleias gerais, das grandes reuniões perfeitamente democráticas. Não gostaria de voltar àquela época ”, sublinhou Jerónimo de Sousa.

Questionado se o partido já tem parecer positivo da Direcção-Geral da Saúde para a realização do congresso, que vai decorrer em estado de emergência devido à pandemia covid-19, o dirigente respondeu que “já está tratado com a saúde autoridades ”e que“ essas condições são criadas, com muito esforço ”.

Jerónimo de Sousa lembrou que o número de delegados foi reduzido para metade (cerca de 600), que a grande reunião não terá convidados, e sublinhou que serão aplicadas “medidas sanitárias de protecção absoluta”, como a distância social ou o uso de máscaras.

“Estas condições estão garantidas”, o que “dá muito trabalho, é muito exigente, mas somos assim, assumimos responsabilidades, cumprimos”, sublinhou.

Jerónimo de Sousa confirmou ainda que o congresso decorrerá sexta-feira e sábado ao longo do dia, e no domingo de manhã, e está convicto de que o tempo estipulado “será respeitado”.

Quarta-feira, em entrevista à TVI, o dirigente do PSD foi questionado sobre a possibilidade de impedir o congresso do PCP, se fosse o chefe do Governo, e referiu a solução de um eventual conflito ao Primeiro-Ministro, António Costa, e para o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Em resposta, o Rio afirmou que “obviamente” tentaria impedir o congresso, acrescentando que “o Governo está a dizer que as regras são as mesmas para todos, menos para o PCP”, o que “pode conduzir a uma coisa muito perigosa que é as pessoas perdem o respeito pelo Governo ”.

No dia seguinte, em entrevista à agência Lusa, o secretário-geral do PCP criticou a “arrogância” do PSD ao admitir que “obviamente” impediria o congresso comunista de se realizar no último fim-de-semana de novembro, que disse ser uma “forma perigosa”.

O regime do estado de emergência estipula que “as reuniões dos órgãos estatutários dos partidos políticos, sindicatos e associações profissionais não serão em caso algum proibidas, dissolvidas ou submetidas a autorização prévia”.

O XXI Congresso Nacional do PCP realiza-se nos dias 27, 28 e 29 de novembro de 2020, no Pavilhão Paz e Amizade, em Loures, sob o lema “Organizar, Lutar, Avançar – Democracia e Socialismo”.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero