Ministério da Infraestrutura de Portugal impede a Ryanair de operar rotas de Marrocos

29 de outubro A Ryanair está proibida de abrir três novas rotas para Marrocos “ilegalmente” (de acordo com a Ryanair) pelo Ministério das Infraestruturas de Portugal e pela ANAC. Esta é uma violação clara do Acordo de Céus Abertos da UE com Marrocos. A Ryanair opera entre Portugal e Marrocos há mais de três anos, e é inexplicável que o Ministério das Infraestruturas / ANAC não tenha concedido autorização de voo normalizada para permitir a operação destas aeronaves.

Com o cancelamento destes voos a partir de domingo, 31 de outubro, os planos de viagem de 3.000 passageiros portugueses serão interrompidos desnecessariamente e de forma ilegal. A Ryanair fez várias tentativas no mês passado para obter essas autorizações, mas todos os funcionários sem rosto do Ministério da Infra-estrutura partiram. Na sexta-feira à noite mostram-se totalmente indiferentes ao caos que têm causado aos mais de 3.000 portugueses que se dirigem a Marrocos para as suas férias, recusam-se a emitir licenças regulares e dirigem-se a Marrocos no fim-de-semana mais movimentado do ano.

A Ryanair lamenta o cancelamento desnecessário dos seguintes voos devido a ações ilegais por parte do Ministério da Infraestrutura:

Vazio

Os voos do Porto para Marraquexe irão decorrer conforme o planeado.

O Diretor Comercial da Ryanair Jason McKinnon disse:

“É inacreditável que o departamento português de infraestruturas esteja a obrigar o cancelamento de voos para mais de 3.000 passageiros portugueses de forma totalmente desnecessária desde domingo, 31 de outubro.St.. A Ryaner já tem o direito de voar de Portugal para Marrocos, operando com sucesso voos entre Portugal e Marrocos há mais de 3 anos, e não há nenhuma boa razão para esta ação ilegal, que é uma clara violação do direito da UE, o Ato Aberto da UE. Acordo de céus.

Foi simplesmente ultrajante que os burocratas sem rosto do departamento de infraestrutura se recusaram a resolver o problema em seus escritórios na sexta-feira e, em vez disso, desmontaram os planos de férias para mais de 3.000 concidadãos, partindo para o fim de semana de feriado.

A Ryanair pede desculpa por qualquer incómodo causado aos nossos passageiros por esta actividade ilegal do Departamento de Infra-estruturas de Portugal e reembolsará as disposições alternativas de viagem e para os passageiros afectados.

30 de outubro de 2022

Posteriormente, a ANAC (Autoridade de Aviação Civil Portuguesa) esclareceu porque a Ryanair estava a bloquear o início das rotas marroquinas:

Explicação do pedido da Ryanair para operar novas rotas para Marrocos

Em 22.10.2021, a ANAC recebeu um pedido da Ryanair Airlines para explorar novas rotas para Marrocos.

Este pedido, apresentado fora do prazo, visava, após várias persuasões desta Comissão (desde setembro), cumprir aquela legislação marítima e o quadro regulamentar aplicável e instruir eficazmente os seus processos.

A ANAC reiterou tempestivamente à transportadora que ela deverá cumprir a legislação e enviar os documentos exigidos e proceder à apuração do processo, caso contrário os órgãos não serão fiscalizados e as aprovações necessárias não serão concedidas.

Embora o pedido da Ryanair tenha sido encaminhado à ANAC, a comissão solicitou à empresa que fornecesse os documentos em falta no prazo de 15 dias para efeito de início das rotas, em violação do prazo mínimo existente. Ontem, foram solicitados documentos faltantes relativos ao pedido de início das rotas, bem como esclarecimentos sobre a regularização da sua situação contributiva junto da SS.

A ANAC e os seus trabalhadores desempenham as suas funções e operações com diligência e eficiência, sempre operando dentro dos limites da lei e fazendo cumprir a lei, protegendo assim todas as operadoras de competirem nas mesmas condições.

Assim, o envolvimento do transportador não é compreendido, nem é difícil instruir outras pessoas que concluíram o processo com sucesso no passado.

A ANAC protege os direitos dos consumidores e, segundo a legislação europeia em vigor, lembra a transportadora de suas obrigações em relação à segurança dos passageiros e determina as responsabilidades da transportadora na comercialização de passagens aéreas sem os direitos de transporte necessários. .

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

TURNOZERO.COM PARTICIPE DO PROGRAMA ASSOCIADO DA AMAZON SERVICES LLC, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE DE AFILIADOS PROJETADO PARA FORNECER AOS SITES UM MEIO DE GANHAR CUSTOS DE PUBLICIDADE DENTRO E EM CONEXÃO COM AMAZON.IT. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.IT, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZON, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS EM COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO NOSSO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DA AMAZON.IT E DE SEUS VENDEDORES.
Turno Zero