O clube brasileiro selou os pontos por abuso racial

Um clube da segunda divisão brasileira foi bloqueado por três pontos e um de seus dirigentes foi banido do futebol por 360 dias por abusar de um jogador adversário durante uma partida recente.

O Tribunal de Esportes da Suprema Corte multou Presquez em $ 11.000 ($ A15.000) e o oficial sênior Julio Antonio Peterman em 30.000 riais ($ A8000).

Durante uma partida no dia 28 de agosto na Série B, Brasil, Peterman concordou com o meio-campista do Landrina Celsinho para “cortar o cabelo de abelha”.

Peterman pediu desculpas no tribunal.

Não houve torcedores no jogo, que terminou em 0 a 0 devido às restrições do Covit-19 no Brasil. Porém, Celsinho identificou Peterman no camarote do dirigente e o incidente consta do relatório do árbitro.

Casos de racismo abalaram o futebol nos últimos anos e receberam considerável atenção. Mas ainda é raro punir clubes dividindo pontos ou perdendo seus jogos.

“Este é o primeiro caso que vejo de difamação racial por parte de um dirigente de clube”, escreveu Wanderson McCullough, um dos juízes.

“Ser um executivo de clube traz uma dimensão organizacional e não vejo como o clube pode ser responsabilizado.”

Antes de serem deduzidos os pontos, Brusque estava em 15º na Série B com 20 equipes, enquanto o Londrina estava a cinco pontos da última posição.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero