O número de casos de Chikungunya aumentou 5,089% em São Paulo

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, São Paulo teve 281 casos em 2020. Até novembro deste ano, 14.300 diagnósticos foram confirmados – um aumento impressionante de 5.089%. Cinco pessoas morreram.

Destinos muito procurados no final do ano, os municípios da Baixada Santista foram os que mais pacientes receberam – 7.300 em Santos, 3.200 no Guarujá e 1.600 em São Vicente. A capital paulista registrou 142 casos da doença de janeiro a novembro – um aumento de 788% em relação a todo o ano de 2020.

Destes, 63 eram autóctones, ou seja, originários da própria cidade. Metade desses casos foi detectada na região de Campo Limpo, no sul, e em Villa Prudente, no leste, com sete casos.

Para Robert Fabiano Crespo Rosas, professor de infectologia do Centro Universitário de São Camilo, o compromisso com o combate ao coronavírus deu mais espaço para a proliferação do mosquito Aedes aegypti – também responsável pela dengue e pelo vírus Zika.

“Apesar de ficar muito tempo em casa, parte da população foi negligenciada. E enquanto estavam em casa, muitos ficaram mais expostos aos mosquitos, o que possibilitou esse grande número de casos ”.

O governo do estado afirma que 80% dos locais são cultivados em residências e alerta para a necessidade de manter um ambiente limpo e sem acúmulo de água, o que favorece a reprodução do Aedes.

O que é chikungunya?

É um arbovírus (transmitido por artrópodes como insetos e aranhas) causado por um vírus. Como o vírus é transmitido? Devido à picada do mosquito Aedes aegypti, além da dengue e do vírus Zika.

Como a doença se manifesta?

Podem ser três fases: febril (ou aguda), de 5 a 14 dias; pós-aguda, até 3 meses; e crônica, acima de 3 meses.

Quais são os principais sintomas?

Febre; dores fortes nas articulações, nas costas e no corpo; erupção cutânea vermelha; dor de cabeça; nausea e vomito; dor retroocular; dor de garganta; arrepios; diarréia; dor abdominal.

Como tratar a doença?

Varia em função dos sintomas, sob avaliação e prescrição. Descanse na cama e muitos líquidos são recomendados.

Como prevenir o chikungunya?

Não existe vacina para esta doença. Uma forma de evitar isso é conter a proliferação do mosquito Aedes aegypti, eliminando a água armazenada em locais que poderiam se tornar criadouros.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero