Os pesquisadores fizeram um grande avanço na busca de uma cura para a doença de Alzheimer

Crédito: The Independent

Um grupo de cientistas fez avanços muito importantes no processo de luta contra a doença de Alzheimer. A equipe, formada por cientistas do Reino Unido e da Alemanha, desenvolveu um novo método que tem grande potencial para ajudar a tratar e até mesmo vacinar pessoas contra a doença de Alzheimer. A equipe comunicou a notícia à imprensa por meio de um comunicado à imprensa.

Os cientistas disseram que desenvolveram um tratamento baseado em anticorpos e uma vacina baseada em proteínas, os quais foram capazes de reduzir os sintomas da doença de Alzheimer em ratos de laboratório, que os cientistas usaram como cobaias para experimentos.

No entanto, de acordo com a equipe, o próximo passo importante no experimento será a realização de testes clínicos em humanos.

Uma equipe composta por pesquisadores da Universidade de Leicester, do University Medical Center em Göttingen e da instituição de caridade LifeArc publicou suas descobertas na revista científica Molecular Psychiatry na semana passada.

Segundo eles, o novo tratamento e vacina são baseados em uma forma solúvel de uma proteína encontrada no cérebro e ligada ao mal de Alzheimer. Os cientistas acreditam que a forma solúvel dessa proteína é crucial para o desenvolvimento e progressão dessa doença no corpo.

A proteína, chamada amilóide, é a parte mais importante do processo de concepção do tratamento, explicou o professor Thomas Bayer do University Medical Center em Göttingen: “Em ensaios clínicos, nenhum dos tratamentos dissolveu as placas amilóides no cérebro. Alguns até mostraram efeitos colaterais negativos, então optamos por uma abordagem diferente. ”

Ele então esclareceu que a equipe foi capaz de detectar um anticorpo que neutralizaria essa proteína. Ao testar uma nova versão desse anticorpo que visa utilizar o tratamento em humanos, o processo gerado permitiu à equipe desenvolver um fragmento de uma região proteica específica que poderia ser usada para criar uma vacina que acionaria o sistema imunológico para a produção de anticorpos contra o mal de Alzheimer. doença.

Os pesquisadores testaram a proteína modificada em ratos de laboratório e descobriram que aqueles que receberam a proteína produziram um anticorpo necessário para combater a doença, ajudando a restaurar a função das células nervosas e restaurar a perda de memória.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero