Novembro 27, 2020

Turno Zero

Notícias Completas mundo

Pandemia aumentou a utilização da Internet por famílias madeirenses

De acordo com os resultados do Inquérito ao Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação pelas Famílias realizado entre abril e agosto de 2020, 88,0% dos agregados familiares da Região Autónoma da Madeira (RAM) tinham acesso à Internet (86,0% em banda larga), traduzindo-se num aumento de 1,9 pontos percentuais (pp) face a 2019, de acordo com a Direção Regional de Estatística.

Se voltarmos a 2009, esse aumento é cerca de 20 vezes maior (+38,3 pp). A percentagem de agregados familiares na RAM com acesso à Internet é superior à observada a nível nacional (84,5%).

A proporção de residentes no RAM com idade entre 16 e 74 anos que referiram ter utilizado a internet nos últimos 12 meses anteriores à entrevista foi de 82,0%, o que reflete um aumento acentuado, de 4,6 pp, em relação a 2019 (77,4%) . Considerando o uso mais recente, 80,0% das pessoas nessa faixa etária indicaram ter utilizado a internet nos 3 meses anteriores à entrevista, o que significa um aumento de 3,4 pp em relação a 2019 (76,6%).

Esses aumentos estão naturalmente associados ao contexto pandêmico vivenciado no período de resposta à pesquisa, que intensificou o uso da internet, segundo a entidade.

Em 2020, 37,7% dos residentes na RAM com idades entre os 16 e os 74 anos utilizaram o comércio electrónico nos 12 meses anteriores à entrevista (44,5% para Portugal), ou seja, +0,9 pp que em 2019. Essa mesma proporção mas para os 3 meses antes da entrevista subia para 28,6% em 2020 (também +0,9 pp que no ano anterior), mas abaixo do valor nacional que era de 35,2%.

.js">

Dos utilizadores ocupados de Internet, 27,7% trabalhavam em casa, 25,5% trabalhavam em casa devido ao COVID-19 e 24,4% realizavam teletrabalho, utilizando TIC, nomeadamente com uso e / ou smartphone. A proporção de pessoas em teletrabalho calculada para o RAM foi 6,7 pp inferior à observada para o país como um todo (31,1%).

As TICs mais utilizadas no teletrabalho foram correio eletrônico (98,7%), videoconferência (79,1%), pastas compartilhadas em espaço de armazenamento na Internet (61,5%) e rede privada virtual – VPN (54,9%). A ligação remota a um computador da empresa só era utilizada por 42,7% dos colaboradores em teletrabalho. Pouco mais de 30% usaram a web ou extranet (30,7%).

Considerando o período de resposta à pesquisa (entre abril e agosto de 2020), os dados aqui apresentados refletem naturalmente o impacto da pandemia COVID-19 no modo e na intensidade de uso da Internet pelas pessoas.