Ronaldinho está cumprindo 4 meses de prisão e está enfrentando o ‘silêncio’ das autoridades – Blog para Perrone

Nesta segunda-feira (6), Ronaldinho Gaúcho e seu irmão Assis terminam quatro meses de prisão no Paraguai, acusados ​​de transportar e usar documentos paraguaios com conteúdo falso ao entrar no país. No momento, os ex-jogadores enfrentam prisão domiciliar no hotel, uma longa espera e o silêncio das autoridades locais sobre o último recurso que a defesa atacou em maio.

“O Ministério Público está em completo silêncio porque não encontrou nada contra nossos clientes. Nada! E agora o MP não tem como explicar a prisão ilegal e arbitrária”, disse o advogado dos irmãos Sérgio Queiroz no blog.

O recurso está sendo contestado pelo que a defesa chama de nulo e sem efeito, o que resultou na prisão preventiva de ambos no início de março, que se transformou em família em abril, com fiança de US $ 1,6 milhão.

O MP nega que tenha havido irregularidades. O tribunal não informou os advogados de Ronaldinho quando eles decidiram sobre o recurso. “Um recurso pode ser julgado a qualquer momento”, disse Queiroz.

A prisão preventiva / domiciliar pode durar até seis meses. Durante esse período, que termina no início de setembro, o MP deve concluir suas investigações e apresentá-las aos tribunais.

Quando ele diz que o deputado não encontrou nada contra seus clientes, Queiroz se refere principalmente ao fato de que os telefones celulares dos irmãos foram investigados sem nada comprometer.

Esperar que o dispositivo seja analisado foi um dos motivos pelo qual o ministério público solicitou a manutenção de uma prisão brasileira.

Os promotores da época disseram que queriam ver se havia alguma mensagem que pudesse indicar o envolvimento dos irmãos no que eles consideram uma organização criminosa especializada, principalmente em lavagem de dinheiro.

O advogado confirma que não encontrou evidências de suposta interferência nos dispositivos.

Ronaldinho e Assis afirmam que foram ao país para ter o ex-jogador do Barcelona participando do evento de caridade. Eles confirmam que solicitaram documentos paraguaios, incluindo passaportes, mas afirmam que pensavam que eram documentos válidos.

Os documentos ofereceriam documentação aos dois interlocutores para facilitar a eventual abertura de uma empresa no Paraguai, caso eles estivessem interessados ​​em um dia de negócios no país.

A investigação já culminou em uma série de prisões de pessoas acusadas de envolvimento na obtenção de documentos de ex-jogadores.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero