Novembro 27, 2020

Turno Zero

Notícias Completas mundo

THE BALL – «Temos um grupo fantástico, muito unido e com muita vontade de vencer» (Sporting)

Nuno Santos chegou ao Sporting no verão e já se assumiu como um jogador-chave na equipa de Rúben Amorim, reconhecendo que é um jogador importante. Apesar do discurso cauteloso, de jogo em jogo, ele considera o extremo dos 25 anos que o grupo, cheio de qualidade, tem maturidade para poder assumir a posição de candidato ao título.

Ele chegou ao Sporting no verão. O que mais te surpreendeu no clube? Superou suas expectativas?

– Superou, em todos os aspectos. É um grande clube, um grande de Portugal. Em todos os aspectos. Estou muito feliz, foi um passo em frente vir para o Sporting.

Na altura falava-se de uma proposta do FC Porto. Isso realmente existia?

– Direi apenas que houve esse interesse. Mas estou no Sporting, com a cabeça aqui, este é o meu clube e é aqui que quero estar.

O que te fez escolher o Sporting? Na altura da apresentação disse que a escolha era sua.

– Escolhi porque foi o projeto que vi e que poderia ter mais oportunidades, um clube que é um desafio muito grande, tanto para mim como para todos os outros jogadores que vieram. Estamos a mostrar isso e foi por isso que decidi vir para o Sporting.

O Sporting é o líder. Você se sente confortável naquele lugar ou há um pouco mais de pressão aqui?

.js">

– Não. Nós, como Sporting, como jogadores do Sporting, não podemos estar sob pressão para estar em primeiro lugar. O Sporting é um grande clube, um clube que tem de estar habituado a estar lá em cima e já pensamos nisso. Vamos jogar jogo a jogo, o campeonato é muito longo. Neste momento, estamos em primeiro lugar mas focados, sempre com humildade e continuando o nosso trabalho. Jogo a jogo vamos atingir o objetivo, tal como o fizemos. Temos seis vitórias e um empate. Estamos indo bem e devemos continuar.

João Mário apontou para a Champions League. É essa a estratégia, visando os campeões? É também uma forma de proteger os jogadores mais jovens?

– Se falarmos dos Campeões teremos que ficar em primeiro ou segundo lugar para a entrada direta. Ou terceiro. Mas o Sporting tem de lutar para estar sempre lá em cima e nós, jogadores, sempre sonhamos estar em competições europeias, tanto na Liga Europa como, claro, em posição superior na Liga dos Campeões. Todos querem estar lá, mas se as coisas não correrem bem não estaremos lá. É continuar, jogo a jogo, com essa união do grupo. Temos um grupo fantástico, muito unido e com muita vontade de vencer todos os jogos.

Leia a entrevista completa na edição impressa ou digital da BOLA