Dezembro 3, 2020

Turno Zero

Notícias Completas mundo

Tribunal brasileiro alvo de ataque a computador. Os autores são hackers portugueses investigados pelo PJ – Observer

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do Brasil foi alvo de uma tentativa de ataque de computador neste domingo, escreve o Estadão. A Polícia Federal, que investiga a suposta intrusão malsucedida, já conseguiu identificar os autores do ataque: Portugueses e fazem parte de um grupo denominado Cyberteam, que foi investigado pela Polícia Judiciária Portuguesa (PJ) na sequência de um ataque à EDP realizado por aquele grupo em abril deste ano.

Na verdade, o próprio grupo reivindicou o ataque em sua página do Facebook. “Informamos que o instabilidade nas plataformas TSE / TRE é causada pelo nosso tráfego, diretamente das bases de dados ”, lê-se na publicação. O objetivo do ataque era derrubar o sistema do Tribunal Superior Eleitoral, por meio de diversos acessos, no dia em que acontecem as eleições municipais no Brasil, escreve o Estadão. Mas o presidente do tribunal, Luís Roberto Barroso, garantiu em conferência de imprensa que o ataque foi neutralizado e não afetou o sistema de contagem de votos nem o sistema de votação eletrônica.

A postagem feita pelo grupo CyberTeam em sua página do Facebook neste domingo

Na publicação, o grupo forneceu dois links para fazer o baixar vários documentos supostamente retirados do sistema informático do tribunal. Contudo, os arquivos disponíveis são dados antigos ou informações públicas disponível em local, que nem teve qualquer ligação com as eleições municipais, afirma o Estadão. O Presidente Luís Roberto Barroso explicou na conferência de imprensa que um dos emails que aparecem entre os conteúdos publicados tem o domínio “.gov”, quando o TSE já utiliza o domínio “.tse.br” há muito tempo. Mais: os documentos revelados incluem nomes de ex-funcionários.

CyberTeam. Quem são os piratas que hackearam a EDP e a Altice e ameaçam um mega ataque no dia 25 de abril

.js">

Um dos integrantes do Cyberteam, contatado pelo Estadão, apresentou-se como Zambrius e confirmou ser o suspeito este foi um dos dois detidos em Portugal em abril deste ano por suspeita de serem os autores do ataque informático à EDP e, dias depois, à Altice. Em declarações ao jornal brasileiro, Zambrius confessou que os documentos divulgados não foram de facto fruto do atentado realizado neste domingo, mas de um “antigo atentado”. Ainda assim, confirmou que a invasão mais recente “é hoje” e servido para “coletar dados de um usuário”.

Do Benfica ao Ministério da Saúde. Duas semanas após o ataque à EDP, hackers foram apanhados pela PJ

Aquando das detenções em Portugal, o Ministério Público confirmou, em comunicado, que existem “fortes indícios de que o grupo CyberTeam procedeu a ataques informáticos, nomeadamente os que ocorreram a 25 de Abril” “Entre as entidades alvo do Os ataques são o Ministério da Saúde, o PNL – Computação Científica Nacional, a Universidade Nova de Lisboa, o Ministério da Cultura e vários museus ”, lê-se também a nota. Após este ataque, Zambrius foi detido sob custódia.