Janeiro 18, 2021

Turno Zero

Notícias Completas mundo

Uma queda na temperatura pode trazer neve para a Serra do Minho

Três anos de prisão. É a sentença imposta pelo Tribunal de Braga a José Manuel Campos (33), de Barcelos, por tráfico de pequenas drogas.

A Câmara de Julgamento provou que o réu, apelidado de “Repas” e defendido pelo advogado João Ferreira Araújo de junho de 2016 a agosto de 2017, “consumiu, possuiu e cedeu tóxicos a terceiros”.

Para isso, viajou de carro nas proximidades do túnel de acesso a um restaurante em Arcozel, onde costumam ir os usuários de drogas, para ali fazer contatos, consumir e dar drogas.

O José foi apanhado pela primeira vez na Rua da Retorta, em Li, onde viveu e onde escondeu atrás de um hidrômetro uma balança digital branca, uma balança cinzenta de precisão e seis pratos de resina de cannabis, embrulhados em plástico, peso líquido 290,09 gramas; havia também vários pedaços de folhas / somas de cannabis, com 103,6 gramas.

No dia 15 de junho de 2016, às 22h10, quando entrou na Cadeia de Guimarães, para cumprir pena de prisão nos dias de folga, guardava consigo, guardadas na sua roupa, quatro peças de resina de cannabis de 2.914 gramas.

Em agosto de 2017, foi ao festival NEOPOP, a Viana do Castelo, e depois a uma festa “after-hours” onde vendeu cannabis.

Festival Paredes de Coura

.js">

No dia 13 de agosto de 2017 às 04h45 na Rua São João de Deus, em Fão, Esposende, foram realizadas 3,25 gramas de resina de cannabis.

No dia 19, dirigiu-se ao festival de música Vodafone Paredes de Coura 2017, e junto à Ponte de Mantelães, em Paredes de Coura, foi preso com um saco plástico contendo folhas / somas de cannabis, pesando 56.530 gramas.

O tribunal não suspendeu a pena em virtude de diversos veredictos anteriormente condenados, pelas infrações penais de tráfico de seres humanos, furto e ofensas criminais até integridade física qualificada.

Balanço social em processo afirma que aos 13 anos teve a primeira experiência de consumo de haxixe, que guardou de forma lúdica até os 16 anos.

No entanto, esse comportamento se intensificou, passando a consumir drogas com maior potência aditiva, aos 17 anos, a saber, cocaína e heroína.

Embora tenha feito consultas na área da toxicodependência em Barcelos e feito dois tratamentos de desintoxicação, continuou a consumir e começou a vender.