Turno Zero

Notícias Completas mundo

Você vai comprar um novo iPhone? Isso não vai funcionar totalmente

Quando os primeiros compradores portugueses do novo iPhone 12, lançado esta terça-feira, receberem os seus novos “brinquedos” não poderão usufruir da maior novidade tecnológica que incluem: a tecnologia 5G. A menos que eles saiam do país …

Isto porque Portugal está muito atrasado – e ainda não há previsão de quando o deixará de estar – na implementação da próxima geração da rede de telecomunicações móveis, que permite velocidades de transferência de dados muito superiores às actuais. E sem o qual não será possível conseguir uma verdadeira rede inteligente de vários dispositivos conectados, desde a internet das coisas (IoT) até carros autônomos.

No entanto, o nosso país, que até agora sempre esteve na vanguarda das telecomunicações móveis – fomos dos primeiros na Europa a adoptar o sistema GSM utilizado nas comunicações de voz, pioneiro na massificação da Internet nos telemóveis e, antes do 4G, tínhamos UMTS – fomos deixados para trás naquela que será, sem dúvida, a mudança mais importante que a tecnologia trará para o nosso dia a dia.

O assunto surgiu com a notícia recente de que os Estados Unidos pressionavam Portugal a não usar a tecnologia chinesa Huawei, por temor de que o governo comunista chinês usasse o gigante tecnológico para espionagem. Já escrevi sobre isso aqui e embora pessoalmente prefira optar pela tecnologia europeia, francamente, não quero saber mais.

É muito mais relevante do que à primeira vista que o fato de a Apple já ter lançado todo o seu peso no suporte ao 5G. Essa tecnologia não se trata apenas de downloads e trocas de arquivos mais rápidos. O que está em jogo é muito mais do que isso.

Carlos Jorge

"Orgulhoso especialista em café. Webaholic. Guru zumbi. Introvertido. Ávido aficionado por cerveja. Analista. Totalmente praticante de tv. Amante premiado de comida. Estudante."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Previous Post Rússia ameaça cortar relações com a União Europeia por causa do caso Navalny
Next Post Médicos alertam sobre perda de audição súbita associada a covid-19