Wi-Fi espacial: como os astronautas se conectam à Internet além da Terra? – 16.07.2020

Se você pudesse vir à Estação Espacial Internacional, o que faria primeiro? Talvez tirar uma foto e publicá-la nas mídias sociais? Você pode até fazer isso, mas a Internet disponível para os astronautas “que ficam” nas instalações é muito lenta.

Como algo tão “básico” funciona mal no que provavelmente é um dos maiores feitos tecnológicos da humanidade? A resposta para isso envolve principalmente a distância que os dados percorrem.

A tecnologia por trás da Internet na ISS
Foto: Guilherme Zamarioli / UOL

Desde 2010, a Estação Espacial Internacional possui um sistema de conexão que permite acesso pessoal à Internet. O objetivo era melhorar a qualidade de vida daqueles que estão limitados a uma estrutura com 408 km de altura e orbita a Terra a uma velocidade de cerca de 27.000 km / h.

Para este local, a estação usa os mesmos links de comunicação usados ​​para telemetria que o “canal” – isto é, a troca de dados e o contato com a tripulação.

Quando você clica em um link, por exemplo, o comando é enviado a uma rede de satélites que orbitam a Terra a mais de 35.000 km acima do nível do mar – próximo aos chamados satélites geoestacionários (em órbita baixa da Terra).

Esses satélites se conectam a receptores no solo – a chamada Deep Space Network, com instalações na Califórnia (EUA), Espanha e Austrália – que, por sua vez, se comunicam com o Johnson Space Center, a instalação da NASA em Houston (EUA). Existem interfaces de computador entre a “rede” formada pela estação espacial, satélites, receptores e dispositivos da NASA e a própria Internet.

Qual é a velocidade da conexão?

A conexão entre a Estação Espacial Internacional e a Deep Space Network é extremamente rápida: 600 Mbps, para download e download.

Problemas no acesso pessoal à Internet são a distância que o sinal percorre de estação em estação e superfícies e a necessidade de usar um computador na Terra como uma interface para acessar o conteúdo da Internet. O resultado é um grande atraso (também conhecido como ping): entre 500 ms e 700 ms, um valor significativamente maior que aproximadamente 10 ms obtido em uma conexão “terrestre” de banda larga.

De acordo com um relatório de Clayton Anderson, um astronauta que já “hospedou” a estação espacial, há uma sensação de usar a Internet discada.

Os astronautas podem acessar alguma coisa?

Não. Embora não haja dados claros sobre essas restrições, um porta-voz da NASA disse em entrevista ao The Atlantic em 2015 que era uma “rede”.

Quais dispositivos acessam a Internet?

Além dos laptops, os astronautas podem usar tablets para navegar e até videoconferências com familiares e amigos.

Existe interferência de outros sinais?

Não, porque a estação se comunica com objetos da NASA usando uma conexão dedicada. Como as antenas receptoras da Deep Space Network estão posicionadas para manter contato constante com os satélites que se comunicam com a estação, a conexão é contínua.

fontes:
Vanderlei Cunha Parro, professor de engenharia elétrica no Instituto de Mauá de Tecnologia
Cássio Barbosa, professor do Departamento de Física da FEI

Toda quinta-feira, a Tilt mostra como a tecnologia está por trás de (quase) tudo ao nosso redor. Você tem alguma pergunta sobre a instalação? Envie-nos e nós investigaremos.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero