Dezembro 3, 2020

Turno Zero

Notícias Completas mundo

A BOLA – «Vai ser um grande jogo, que mereceu audiência» (Selecção)

Fernando Santos assume o personagem decisivo do jogo deste sábado contra a França. O treinador chega a dizer que é para vencer, sem hesitar, apenas lamentando não ser possível ter audiência nas bancadas do Estádio da Luz.

«Este é um jogo decisivo, mas Portugal e França já passaram por muitos desses jogos, como campeões da Europa e do Mundo. Seria ruim se não tivéssemos jogos decisivos. Eles devem vencer. Não é uma decisão final, mas será decisiva em caso de vitória de alguma das equipas », começou Fernando Santos por dizer, saindo de imediato da ‘receita’:

.js">

«Não fuja das nossas características, defenda com 11 e ataque com 11. A base da vitória é a organização. Vai ser um grande jogo, mereceu audiência. O país está confinado e a saúde em primeiro lugar, mas esse tipo de jogo merece um estádio cheio. Espero um grande jogo, com respeito mas sem subserviência. Acho que as duas equipes estão muito próximas em termos de qualidade. A França tem jogadores de alto nível, nós também. A abordagem do jogo pode ser diferente, mas devido às características dos jogadores. França atuou no primeiro jogo [0-0] com Giroud, Mbappé e Griezman, agora você pode ter o Martial, mas trabalhamos nos atributos da seleção francesa, que são muitos, mas também nos aspectos que terão mais dificuldade. »

Sem querer deixar pistas sobre os onze que vai usar, nomeadamente ser Anthony Lopes ou Rui Patrício à baliza e se José Fonte se aliar a Rúben Dias na defesa, Fernando Santos também recusou a ideia de preparar o jogo a partir da defesa .

«A minha proposta é ganhar e a primeira condição é fazer golos. Sabemos que estaremos mais perto de vencer se não sofrermos, mas essa é a única verdade do futebol. Quem não sofre não perde. Mas não partimos dessa base, o que está escrito no quadro é para vencer. Depois diz organização, concentração, paixão e confiança », sublinhou.