A Globo é atacada por um homem armado que ameaça um jornalista; Renata Vasconcellos estaria no alvo

O homem invadiu a sede do jornalismo na Globo, no Jardim Botânico, na zona sul do Rio de Janeiro, nesta tarde. Carregando uma faca, a repórter Marina Araújo o levou como refém.

A Globo confirmou que o atacante foi ao local conversar com Renato Vasconcellos – hoje o chefe do Jornal Nacional tem 48 anos. Ele já foi preso e o repórter libertado sem ferimentos.

A Globo Insurance agiu rapidamente, isolou o local e convocou o Primeiro Ministro. O comandante do 23º Batalhão da corporação, coronel Heitor Henrique Pereira, compareceu à delegacia e liderou as negociações. O homem, que ameaçou o repórter, soltou o repórter depois de alguns minutos. Marina e todos os funcionários que estavam no local não ficaram feridos e estão indo bem

Nota oficial do Red Globo

De volta a um comunicado oficial, a emissora negou que a invasão e o seqüestro tivessem qualquer conotação política, quando começou a circular nas mídias sociais. Segundo autoridades que não se identificaram, o jovem era fã de Renato Vasconcellos (20), do Espírito Santo.

A Globo rejeita resolutamente todas as formas de violência. Era o trabalho de alguém com um distúrbio mental, sem nenhuma supervisão política. O homem que exigiu ver a jornalista Renata Vasconcellos. Seguindo as instruções do comandante Heitor, Renata chegou ao local onde Marina e a conquistadora estavam. Assim que a viu, ele jogou a faca no chão e deixou Marina ir. Ele foi preso imediatamente.

Eles levavam o repórter refém na entrada da estação, para que os seguranças não reagissem, por medo de que ele tivesse uma arma de fogo. Seu objetivo, disse ele, era conversar com o apresentador do programa “Journal Nacional”.

Ele queria ir viver

Segundo pessoas que testemunharam a situação, o homem pretendia aparecer ao vivo na Globo. Ele até pediu um sinal da Globoplay para ver se estava na TV. Os funcionários montam uma câmera que finge estar viva, mas apenas transmite o sinal internamente, como se fosse um repórter.

Vamos fazer isso? Para ficar legal? Minha palavra para você: vá para Renato Vasconcellos e você conversará com ela. Mas vamos deixar a menina ir primeiro porque ela não tem nada a ver com Renato Vasconcellos

Coronel Heitor Henrique, do 23º Batalhão PMERJ

A situação toda durou cerca de 30 minutos.

Comunicação interna

Os funcionários do Jardim Botânico receberam um email assinado por Ali Kamel, Diretor Geral de Jornalismo, para discutir a situação:

A TV Globo agradece ao primeiro-ministro, coronel Heitor e a todos os policiais, cujo comportamento foi exemplar. Marina agiu com coragem, calma e decisão, o que é fundamental para o resultado da situação. Renata era corajosa, destacável, solidária e absolutamente necessária para que tudo terminasse bem. Dois profissionais funcionam bem. E os colegas os receberam com amor e sentimento.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Saiba mais sobre Marina Araújo

Marina esteve envolvida na cobertura de vários tópicos, incluindo economia, política, esportes e saúde. Ela até apresentou a série “Rio + 20” em “Bem Estara”.

Ela também estava na reportagem do pe. Carnaval em 2014 e na Copa do Mundo de 2014, após manifestações no Rio de Janeiro.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Turno Zero