Artistas e sujeitos publicam um manifesto e apóiam ‘gatinho’ para funcionários

O movimento de defesa da Cinemateca Brasileira lançou ontem um manifesto em favor das entidades, reforçando o papel de “patrimônio da sociedade” ao hospedar mais de 120 anos da história da cultura audiovisual brasileira.

Artistas como Fernando Meirelles, Bárbara Paz e Alessandro Negrini falam em um vídeo contra o desmantelamento da Cinematec e descobrem um “gato virtual” criado para ajudar em emergências financeiras, com atrasos nos salários dos funcionários.

Em Lugar, colocar em que é possível fazer doações para este caso, que já chega a quase 53 mil dólares a partir da meta básica de arrecadar 200 mil R $, os funcionários da Cinemateca explicam que “eles estão com dois meses de atraso em seus salários e notas de serviço e três meses sem taxas significativas, como alimentos e cupons de alimentos. Não há nem dinheiro para demitir trabalhadores, nem houve retirada do FGTS dos trabalhadores desde março deste ano “.

“A situação de hoje é o resultado da política estatal de prestação de serviços públicos e privatização de serviços públicos, a atitude de longa data dos órgãos estatais que cada vez mais não são responsáveis ​​pela administração de seus órgãos”, acusam os trabalhadores. “[É] uma prática aberta a administrações não transparentes, com interferência política duvidosa para atender aos interesses dos eventos. “

“A ACERP, organização social (OS) afiliada ao Ministério da Educação para administrar a TV Escola, venceu o concurso de administração da Cinemateca Brasileira, assinando em 2018 um adendo ao Contrato de Gerenciamento de Radiodifusão (CG), que também incluía o agora corrupto Ministério da Cultura. Em 2019, o Ministério da Educação rompeu abruptamente os laços da ACERP com a administração da TV Escol, que também encerrou o termo aditivo da Cinemateca Brasileira, e a ACERP vem tentando, desde então, restabelecer uma transferência do governo federal para a continuidade da instituição. influenciou bastante os trabalhadores da TV Escola e da Cinemateca Brasileira ”, explicam os trabalhadores da Cinemateca.

Como colunista da lista Twitter Ricardo Feltrin, em carta aberta publicada por mais de 150 funcionários, a presidência da Acerpa (Fundação Roquette Pinto) exigiu publicamente o pagamento da dívida do Ministério da Educação à entidade que administra a Cinemateca em São Paulo.

a dívida já ultrapassa R $ 13 milhões e isso é devido aos serviços que a fundação prestou no ano passado e em 2020.

Regina Duarte foi prometida uma posição na Cinemateca depois que o presidente a demitiu Jair Bolsonaro (sem partido) do Ministro da Cultura, mas segundo Feltrin, o trabalho já foi rejeitado

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Turno Zero