Bolsonaro disse quando Alvorada deixou a imprensa: ‘Eles estão se tornando vítimas’

O presidente Jair Bolsonaro (sem o partido) disse hoje que a decisão foi tomada por alguns meios de comunicação suspender temporariamente a cobertura diária no Palácio da Alvorada devido à falta de segurança, é “vitimismo”. O presidente lembrou a dor que sofreu em setembro de 2018, alegando que, na época, a mídia “não disse nada”.

“Eles se tornam vítimas. Quando fui esfaqueado, eles não disseram nada. Eu não vi ninguém do Folh” que matou Bolsonar? “Se você demorar quantas horas a Globo deu a Marielle [Franco, vereadora assassinada em março de 2018] e, no meu caso, acho que é 100 para 1, mas tudo bem “, disse o presidente aos apoiadores. A interação foi transmitida nas redes sociais de Bolsonara.

EM Twitter, a Folha de S. Paulo, o Grupo Globo, Metrópoles e a TV decidiram retirar jornalistas do chamado “curralzinho”, um espaço normalmente reservado para jornalistas em frente a Alvorado devido à falta de segurança na região. Os jornalistas muitas vezes perseguiram os apoiadores do presidente, que juram e exigem que os profissionais deixem o cargo.

O presidente, que reclama constantemente da cobertura da mídia do governo, eles já chamavam a Folha de “farsa”. e disse a um repórter do estado de São Paulo para calar a boca, ele confirmou ainda que “nunca teve o ato de embaraçar a mídia” e que “nunca perseguiu ninguém”.

“O que eu quero da mídia é vender a verdade, para o bem da própria mídia”, acrescentou.

Fim da quarentena

Bolsonaro também defendeu o fim da política de isolamento social, fundamental para manter o progresso do novo coronavíruse “retorne ao normal”. Ele reiterou que o Brasil está enfrentando dois problemas hoje, uma diferença de 19 e desemprego, e que o governo federal está pronto para começar a reabrir, mesmo que o país tenha falhado em controlar a pandemia.

Segundo os dados mais recentes do Ministério da Saúde, o Brasil registra mais de 391.000 casos confirmados e 24.000 mortes por covid-19.

“Estamos perdendo vidas, sim, mas não há necessidade de entrar em pânico. A economia matará muito mais no futuro. Amanhã será controverso, mas tenho a obrigação de dizer a verdade. Os pobres se tornam pobres e a classe média pobre.” Governadores e prefeitos devem tentar retornar ao normal ”, ele disse.

O presidente também comentou a intenção de reabrir a fronteira com o Paraguai. O vizinho, no entanto, “acha que ainda não é o caso”, disse Bolsonaro. Além disso, disse o Uruguai, que também não acredita que é hora de reabrir a fronteira com o Brasil. “Ele pediu que esperassem mais”, explicou.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero