Decreto de Trump tem como alvo o viés político no Twitter e no Facebook, mostra esboço – 28.05.2020

Nandita Bose e David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) – O presidente dos EUA, Donald Trump, deve solicitar uma revisão da antiga lei que protege o Twitter, Facebook e Google Alphabet da responsabilidade pelo material postado por seus usuários, além de um projeto de decreto e uma fonte familiarizada com a situação.

As notícias são divulgadas depois que Trump ameaçou desligar a mídia social devido a um conflito com o Twitter, depois que a empresa publicou avisos nos tweets de Trump com avisos para ajudar os usuários a verificar sua veracidade.

O decreto, cuja minuta foi vista pela Reuters, pode mudar antes de ser finalizado. Autoridades disseram quarta-feira que Trump assinará uma lei de mídia social na quinta-feira.

A Casa Branca não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Este regulamento exigiria que a Federal Communications Commission (FCC) propusesse e esclarecesse as disposições da seção 230 da Lei de comunicações não relacionadas a comunicações, uma lei federal que alivia amplamente as plataformas on-line de responsabilidade legal pelo conteúdo postado por seus usuários. Tais mudanças podem expor as empresas de tecnologia a mais ações judiciais.

Ele exige que a agência verifique se a plataforma de mídia social usa políticas enganosas para moderar o conteúdo e se suas políticas são inconsistentes com seus termos de serviço.

A minuta também exige que o procurador-geral estabeleça um grupo de trabalho, incluindo advogados do estado, para examinar a aplicação das leis estaduais que proíbem as plataformas on-line de se envolverem em práticas desonestas e enganosas.

O grupo de trabalho também monitorará ou criará listas para usuários com base em sua interação com o conteúdo publicado ou com outros usuários.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Turno Zero