Depois de Fred, o Fluminense classifica “reforços domésticos” para a pós-pandemia – 16 de junho de 2020.

Depois de devolver o ídolo de Fred, Fluminense recorre à sua “Fábrica de Xerém” para buscar reforços em casa com o objetivo de voltar ao futebol. Dois deles já estão realizando atividades virtuais de preparação física e em breve talvez se apresentem como uma opção na equipe: o atacante Luiz Henrique e o meio-campista Martinelli.

A dupla faz parte oficialmente da equipe sub-19, mas já participou da sub-23, categoria criada este ano que também serve de transição para a equipe principal.

O principal fator que pode afetar a eficácia dos jovens é o cronograma condensado de coronavírus pós-pandemia e isso forçará os clubes a enfrentar uma maratona de jogos, o que exigirá um grupo mais robusto para o técnico Odair Hellmann.

Eu venho de uma equipe de ‘sensações’ com menos de 17 anos

Volante Martinelli também realizou atividades virtuais do departamento principal do Fluminense - Mailson Santana / Fluminense

Volante Martinelli também realizou atividades virtuais para a equipe principal do Fluminense

Foto: Mailson Santana / Fluminense

Luiz Henrique e Martinelli são da equipe sub-17 que obteve sucesso entre os torcedores pelas campanhas que realizaram em 2019, quando a equipe foi campeã e vice-campeã nacional da Copa da Bósnia e Herzegovina e da Copa do Brasil.

O autor da meta do título sub-17 em 2018, o meia Martinelli é o “pequeno motor” do sub-20. Já em seu primeiro ano como júnior, ele foi um titular absoluto e um dos melhores momentos da equipe nesta temporada. O jovem de 18 anos é um “box-to-box”, com um passe de qualidade e entrou na área.

Luiz Henrique (19) é um atacante de campo cuja velocidade e drible são uma de suas principais características. Nascido em Petrópolis (RJ), chegou ao Fluminense com apenas 11 anos, quando ainda era conhecido como zulu.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Turno Zero