Novembro 27, 2020

Turno Zero

Notícias Completas mundo

“É uma falsidade pura e redonda”

Ontem a ANACOM veio acusar as empresas ligadas à comercialização de serviços de Internet, TV e telefone de rebaixar a qualidade dos serviços e aumentar os preços. Os clientes não gostaram, mas as empresas estão reagindo.

Depois de a NOS ter vindo a afirmar que a notícia não correspondia à verdade, a Altice Portugal deixou ainda um comunicado a esclarecer a situação e acusar a ANACOM de não falar a verdade.

MEO, NOS e Vodafone aumentam preços e reduzem a qualidade dos serviços, isso é o que nós escrevemos ontem após comunicação enviada à Pplware pela ANACOM. No texto pode ler-se que entre outubro e novembro de 2020, os três principais prestadores de comunicações eletrónicas em Portugal (MEO, NOS e Vodafone), aumentaram as mensalidades das suas ofertas base "triple play" em 3,3% (+1 euro )

Além disso, foi sugerido que o aumento de preços ocorre ao mesmo tempo e na mesma proporção, sendo muito superior à taxa de inflação. Desde 2018, não existem diferenças de mensalidade para este tipo de oferta, sendo as ofertas ainda mais desfavoráveis ​​quando comparadas com a média internacional.

A Altice Portugal, tal como a NOS, já se pronunciou sobre estas declarações. A empresa MEO chega a dizer que tudo é mentira e acusa a ANACOM de não cumprir o seu papel de regulador, que “há 3 anos não realiza qualquer estudo de mercado ou de preços, mas com dados completamente estranhos ao sector. ”

Anúncio da Altice Portugal:

    A Altice Portugal, por razões de seriedade e defesa do seu bom nome, bem como do sector das telecomunicações em Portugal, está obrigada, uma vez mais, a reagir a mais uma comunicação da ANACOM pela gravidade que esta confere.

    .js">

    Assim, a Altice Portugal esclarece:

    A afirmação da ANACOM sobre o aumento dos preços para os seus clientes nada mais é do que uma pura falsidade.

    De forma alguma se verifica que tenha havido uma diminuição na qualidade do serviço prestado que a empresa tem no mercado.

    As condições mencionadas pela ANACOM não se aplicam aos clientes atuais.

    Reiteramos que Portugal é um dos países da União Europeia em que os pacotes de telecomunicações são os mais atractivos, conforme refere o estudo do IDES, publicado pela Comissão Europeia.

    Lamentamos que, uma vez mais, com base na falta de provas, o Regulador do Sector tente manipular o país com declarações infundadas que apenas pretendem denegrir a imagem desta empresa que investe centenas de milhões de euros por ano no nosso país e emprega cerca de 20 mil pessoas.

    A ANACOM não realiza estudos de mercado ou de preços há cerca de 3 anos, mas utilizando dados totalmente alheios ao setor.

    Assim, tendo a ANACOM, já há três anos, insistido em afirmar e defender teses sem qualquer estudo ou prova oficial, credível e homologada por base, a Altice Portugal lança o desafio para que pela primeira vez mostre o que o estudo ou prova sobre o qual baseia as suas afirmações, à semelhança da prática de outras entidades, nacionais e internacionais, que têm vindo a criticar publicamente a regulação e o regulador em Portugal, em estudos concretos e publicados ou análises de mercado, de carácter económico-financeiro.

    Lamentamos também que pelas mãos da actual liderança da Anacom, Portugal, que sempre esteve na linha da frente no desenvolvimento e implementação de novas redes de comunicações fixas e móveis, já esteja hoje na linha da frente da Europa, comprometendo a competitividade do país, no que diz respeito ao lançamento da nova tecnologia 5G, enquanto outros 17 países da Comunidade Europeia já lançaram as suas redes.