Turno Zero

Notícias Completas mundo

#fail: Por que a ficção científica não se convenceu de robôs em uma pandemia? – 31.5.2020

#fail: Por que a ficção científica não se convenceu de robôs em uma pandemia? – 31.5.2020

Trouxemos algumas histórias aqui nas últimas semanas Roblog mostrando como os robôs são úteis durante a pandemia “rápida-19” que o mundo está enfrentando. No entanto, os robôs ainda não são cruciais na luta contra a doença.

Os humanóides, ou mesmo a inteligência artificial, não salvam efetivamente a vida de ninguém, mudando o trabalho dos médicos ou encontrando a cura para um novo coronavírus. O motivo é simples: a tecnologia ainda não é tão avançada.

Mas, de acordo com um professor da Universidade Texas A&M, nos Estados Unidos, mesmo em ficção científica, os robôs desempenham apenas um papel de apoio em uma pandemia.

“Não é particularmente convincente ter um robô que salve o dia. Acho que uma das atitudes que vemos na ficção científica é que todas as histórias de pandemia foram motivadas por personagens, sobre médicos ou indivíduos que salvaram tudo”, disse Robin Murphy, que ensina ciência da computação na Texas A&M, em entrevista à Inverse.

Agora não é porque os robôs não são heróis da história que não desempenham um papel importante.

.js">

Eles aparecem na literatura como auxiliares da medicina em 1909, na história “The Machine Stops”, de E. M. Forster. Na história, o robô funciona como uma ferramenta de telemedicina, ajudando um médico humano a examinar um paciente à distância.

Em 1960, Michael Crichton, autor de Jurassic Park, escreveu uma história de pandemia na qual robôs eram usados ​​para manipular e descartar material contaminado.

Há dois anos, Theodore Sturgeon escreveu uma história na qual os drones descobrem um surto de uma epidemia bem a tempo de impedir uma epidemia.

Como você pode ver, na literatura de ficção científica, os robôs são utilizados há muito tempo em epidemias, mais ou menos da mesma maneira que na pandemia de 19-cobras.

Segundo Murphy, a ficção científica foi criada para explorar as implicações futuras de nossa tecnologia, mas, mais importante, foi projetada para espelhar nossas próprias ações e sociedades.

“Pessoalmente, é maravilhoso ver na vida real que os robôs são usados ​​em ficção científica; que o uso auxiliar de robôs pode ser profundo. As coisas que você dá como garantidas podem ser as que podem fazer a maior diferença”, disse Murphy à Inverse.

Carlos Eduardo

"Fã de música. Geek de cerveja. Amante da web. Cai muito. Nerd de café. Viciado em viagens."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Esposa do presidente da OAB-MT: “Ela usava roupas compridas para esconder agressões” – 31.05.2020
Previous Post Esposa do presidente da OAB-MT: “Ela usava roupas compridas para esconder agressões” – 31.05.2020
Schelp: ‘A expressão de auto-engano de Eduardo Bolsonar é disparar um alarme’ – 31.05.2020.
Next Post Schelp: ‘A expressão de auto-engano de Eduardo Bolsonar é disparar um alarme’ – 31.05.2020.