Grupos do setor pedem fim às importações de carne bovina brasileira

WASHINGTON – As empresas que representam os produtores de carne bovina dos EUA pediram ao secretário de Agricultura, Tom Wilsock, que suspenda as importações de carne bovina in natura do Brasil, levantando preocupações de que as agências de saúde animal do país não estejam relatando surtos de doenças animais em tempo hábil pela Organização Mundial de Saúde Animal ( OIE).

Em junho de 2021, ocorreram dois casos de encefalopatia espongiforme bovina diferencial (EEB) no Brasil. Mas as autoridades competentes não relataram os casos à OIE até setembro. Em uma carta a Wilsack, a National Animal Husbandry Beef Association (NCBA) pediu a Wilsack para suspender as importações de carne bovina in natura do Brasil indefinidamente para que o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos pudesse conduzir uma revisão completa e avaliação de risco do Ministério da Agricultura, Pecuária e . Food Supply (MAPA), e seu sistema de laboratório de diagnóstico veterinário.

“Embora diferentes casos de BSE sejam raros e excluídos da classificação de BSE da OIE, a maioria dos países imediatamente relata diferentes casos de BSE com o compromisso de transparência e padrões objetivos e baseados na ciência”, disse o NCBA em sua carta. “Na verdade, a OIE afirma claramente:” Doenças animais listadas na OIE, novas doenças e epidemias significativas devem ser relatadas aos membros dentro de 24 horas após o evento. “Após várias semanas.”

R-CALF USA também enviou uma carta para Wilsack Enfatiza uma ação abrangente que exige a suspensão imediata das importações de todos os produtos de carne bovina fresca e pré-cozida.

“Esta demanda expandida é baseada em nosso conhecimento de que o príon BSE não é inativado por processos convencionais de aquecimento relacionados à carne bovina”, disse R-CALF. “Portanto, nossa demanda é impulsionada principalmente pelas repetidas falhas do Brasil em relatar as erupções da BSE em tempo hábil. Todas as importações de carne bovina sujeita à contaminação da BSE devem ser interrompidas.”

A NCBA observou que outros países com casos confirmados de BSE notificaram a OIE horas ou dias após a confirmação. Mas o Brasil tem um histórico de relatos tardios de casos de BSE, o que a NCBA diz que questiona seu compromisso de relatar outras doenças notáveis, como a gripe suína africana, gripe aviária ou febre aftosa.

“Até que o USDA confirme que o Brasil atende aos mesmos padrões de consumo e segurança alimentar que aplicamos a todos os nossos parceiros comerciais, é hora de excluir a carne bovina fresca brasileira deste país”, disse Ethan Lane, vice-presidente de assuntos governamentais da NCBA. “A NCBA está lá. Há muito se preocupa com a história do Brasil de não relatar os diferentes casos de BSE em tempo hábil, que durou até 2012. Seu histórico ruim e falta de transparência levantam sérias dúvidas sobre a capacidade do Brasil de produzir carne bovina em em pé de igualdade. Se eles não podem cumprir a barra, não há lugar para o seu produto aqui.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero