para um senador, o MEC está fazendo a coisa errada e tentando contornar o Congresso

Ele é o autor de uma lei que prevê o adiamento de testes como o Enem (Exame Estadual do Ensino Médio) até o final do ano letivo de 2020, devido ao impacto da pandemia coronavírus, A senadora Daniella Ribeiro (PP-PB) acredita que a decisão do MEC (Ministério da Educação) de adiar o exame por um período de 30 a 60 dias é “errada” e o resultado de uma tentativa de contornar o movimento ocorrido no Congresso Nacional.

Aprovado ontem no Senado com 75 votos a favor, 1 texto, de autoria de Ribeiro, foi encaminhado à Câmara dos Deputados, onde o assunto deve ser acrescentado à solicitação urgente de outro projeto adiando o Enema e que pode ser votado hoje em plenário,

“Minha avaliação é de que foi apenas uma tentativa de suspender a votação. É fixada uma data de 30 a 60 dias em que temos uma pandemia para a qual não há data final. O projeto em que votamos ontem discutiu cautelosamente como adiá-la após o final do ano letivo. “diz o senador.

Para ela, se a Câmara não votar no projeto, e o adiamento for realmente determinado por um período de 30 a 60 dias, o MIK “mergulhará novamente na profunda injustiça social que existe hoje”.

Perda de alunos de escolas públicas

Ribeiro diz que a suspensão das aulas presenciais atrapalha particularmente a preparação dos alunos das escolas públicas para o Enem, porque muitos não têm acesso à Internet em casa e nem os requisitos mínimos para continuar sua rotina de aprendizado fora da escola.

“Acho que essa tentativa está errada porque não veio com a intenção de resolver o problema [das diferentes condições de acesso] e nem mesmo com a sensibilidade do que é a realidade ”, diz ele.

É ideal para um senador que o Enem ocorra após o final do ano letivo de 2020, porque “neste período, é garantida a possibilidade de que todos possam estudar em condições minimamente convincentes”.

Para Joyce, não faz sentido adiar o Enem e continuar deixando os alunos em condições desiguais - Arquivo pessoal

Para Joyce, não faz sentido adiar o Enem e continuar deixando os alunos em condições desiguais

Imagem: Arquivo pessoal

Os alunos querem mais apoio para o ensino a distância

A ex-aluna de escola pública Izabel Araújo, 18 anos, diz acreditar que a decisão de adiar até 60 dias é “importante”, mas enfatiza que a medida em si não deve ajudar os estudantes mais pobres.

“Não sei se será tão eficaz se não houver outras medidas nesse sentido. Porque não adianta adiar o Enem e continuar deixando estudantes que não têm acesso a palestras ou outras dificuldades sem saída”, diz o vestibular em medicina.

É o que diz a ex-aluna de escola pública Joyce Lopes, 18, que quer experimentar um lugar na Geografia. Para ela, a decisão do MEC é o “começo”.

“Essa medida por si só não será suficiente, porque será apenas mais um prazo para planejarmos. Mas como os alunos estudarão? Existem muitas pessoas sem a Internet, sem um livro em casa. Qual será a medida que o governo adotará?” resolver isso? ”ele pergunta.

Joyce diz que a decisão do MEC é

Joyce diz que a decisão do MEC é um “começo”, mas diz que “a medida sozinha não será suficiente”

Imagem: Arquivo pessoal

A vitória do movimento estudantil

Para Iago Montalvaa, presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes), a decisão do MEC representa uma vitória para o movimento estudantil, porque o ministério sempre insistiu em realizar testes em novembro. “Mas continuamos vigilantes porque achamos que a questão não está resolvida”, diz ele.

“Na nossa opinião, o MEC estabelece uma data fictícia. Em que base há 30 a 60 dias?”, Ele pergunta.

Segundo ele, a UNE defende que o adiamento do Enem esteja relacionado ao calendário escolar – ainda não há definição do retorno das aulas presenciais ou do final do ano letivo. “Um mês não é suficiente”, ressalta.

Montalvão afirma ainda que não é possível implantar o Enem dentro de 30 a 60 dias, devido ao cenário de instabilidade pandêmica.

Joyce e Isabel também mostram essa preocupação. “Também estamos lidando com problemas de saúde. Eles não nos transmitiram como seria e não sabemos quando essa pandemia terminará”, diz Joyce.

“Nós, como estudantes, pensamos: e se fazer um teste porque estamos perseguindo o sono, isso leva a outra crise de coronavírus?”, Diz Isabel.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero