Por que ‘Queer Eye’ é uma série que todo homem plano sempre deve ver – 05. 05. 2020

Desde seu retorno em 2018, a série “Queer Eye” (anteriormente “Queer Eye for the Straight Guy”) fornece serviços valiosos para o que podemos classificar como “homem de verdade”. Não há preconceito aqui, mas se você se encaixa nesse perfil, como muitos “aposentados” da Fab 5 Antonio Porowski, Tan France, Karamo Brown, Bobby Brown e Jonathan Van Ness, assistir ao programa deve ser um dever civil.

Eu nunca vi isso reality show inspirador, vencedor de vários prêmios e quem tem 1,9 milhão de seguidores apenas no Instagram? Bem, nunca é tarde para começar. A quinta temporada chega hoje ao catálogo da Netflix com outro menu diverso e necessário de ensino e pensamento. Se você conseguir internalizá-las, a probabilidade de melhorar sua vida, ser mais feliz e, na maior parte, resolvê-la melhor, é de cerca de 300%.

Siga abaixo o que aprendemos desta vez na nova jornada “Queer Eye”.

Fale sobre emoções

Este é um tema que percorre quase todos os episódios em que ele interpreta homens na nova temporada. Conhecemos pessoas que sofrem o horror de passar anos reprimindo sentimentos, simplesmente porque não têm o hábito de compartilhar o que sentem com a família, amigos ou parceiros. Não por acaso, quando tentam fazer isso, acabam chorando.

Ensinar os homens n. 1: faça como o DJ Ryan descobriu no episódio 6 e abra seu coração sempre que sentir necessidade – e na maioria dos casos é necessário. Falar sobre emoções não é um sinal de fraqueza.

Mãe e esposa ‘perfeitas’

Se não há pai ou marido perfeito, por que eles precisam ser perfeitos? Dois episódios da nova onda “Queer Eye”, estrelada por uma dona de casa (Jennifer) e uma pediatra (Lilly), revelam mulheres sobrecarregadas e disfarçadas por sentimentos de culpa por não serem mães exemplares. Infelizmente, isso ainda é muito comum.

Ensinar os homens nº 2: para viver em harmonia em seu doce lar, é importante desmistificar o caráter da mulher como chefe da família. Compartilhar tarefas no lar e na creche é essencial.

Organizar e limpar a casa também é macho

TODOS os homens solteiros “aposentaram” o Fab 5 na quinta temporada vivem em casas bagunçadas, sujas e em ruínas. Este é o caso do pastor Noom, que é gay e administra uma igreja luterana na Filadélfia aberta a todos os tipos de crentes (sim, existe e é importante que você saiba). Você já imaginou que a desordem pode afetar negativamente sua personalidade e humor?

Ensinar os homens n ° 3: mostre que você é um homem de verdade, não uma criança, e crie uma rotina elegante em sua casa. Não será, por si só, um ambiente aceitável.

Ficar cansado e descansar

No quinto episódio, encontramos Abigail, uma jovem ativista que sofre muito ansiedadeQuem nunca? Ele luta pela preservação do meio ambiente e pelo fato de não poder parar por um momento para descansar, socializar ou aproveitar seu tempo livre. Entre os personagens desta nova temporada, ela não é a única que sofre deste mal moderno.

Ensinar os homens (e não apenas eles) número 4: “Prenda a respiração. Faça isso. Conte até três.” Muito trabalho, dentro ou fora de casa, com ou sem pandemia, pode deixá-lo louco. Tenha cuidado.

Superman não existe

Em um dos melhores episódios, conhecemos um personal trainer e músico chamado Nate McIntyre, irmão da cantora Macy Gray, que administra uma academia em ruínas há 12 anos. Seu ex é convidado para o programa, nunca pensou em pedir ajuda para melhorar seus negócios e sair da pindaíba financeira. Ao fazer isso, ele caiu em um poço sem fundo.

Ensinar os machos número 5: você não sabe ou não precisa saber tudo e tudo bem. Pedir ajuda indica inteligência e vontade de crescer, não fraqueza.

Corpo perfeito para quê?

Nós, homens diretos, devemos reconhecer: existe uma pressão masculina para nutrir músculos e, assim, conquistar as mulheres. O que é um absurdo sem tamanho. Dois personagens da série sofrem com esse problema de auto-estima: o DJ Ryan (que está em ótima forma) e o homem da família Kevin, que já perdeu 40 kg, mas não reconhece uma vitória pessoal, preferindo se concentrar nas falhas.

Ensinar os homens n ° 6: É importante ter uma condição física saudável, mas sem exageros. A personalidade e o trabalho como um todo contam muito mais.

A sociedade é diversa

Aqueles com menos senso comum já sabem. Os negros podem e devem ser retratados na TV como empreendedores ou profissionais com poder social, não apenas como empregados ou subordinados. A temporada traz, por exemplo, Rahanna, proprietária de um serviço de manutenção de cães, Nate e a professora Tyreek, um jovem que trabalha em uma ONG que ensina crianças que precisam de crianças para ler.

Ensinar os homens número 7: O lugar de um homem negro, mulher, mulher negra ou qualquer pessoa LGBTQ + é onde ele quer estar. E só para lembrar: racismo e homofobia são crimes.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Turno Zero