Turno Zero

Notícias Completas mundo

Portugal atinge no máximo 1646 casos de Covid-19 num dia – Sociedade

Portugal registou este sábado um número recorde de 1646 novos casos com o novo coronavírus e ultrapassou os mil infecções pelo terceiro dia consecutivo. O segundo maior registro foi em 10 de abril, com 1516 infecções, e o terceiro na sexta-feira, com 1394. Mais cinco foram relatados mortos, elevando o total para 2.067.O virologista Pedro Simas considera este aumento “totalmente esperado”, devido ao “aumento da circulação de pessoas”, e diz que este máximo “não é alarmante” quando comparado com outros países europeus. O especialista admite, porém, que a situação pode ficar “muito complicada em duas semanas” e defendeu que é necessário “tentar controlar as áreas mais complicadas”.
Constantino Sakellarides, ex-diretor-geral da Saúde, também afirma que “uma análise mais detalhada” dos números é necessária a nível “regional e local”. O especialista não prevê um novo confinamento nacional, mas antecipa “restrições a nível local”.O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou compreender o cansaço sentido pelos profissionais de saúde e pelos portugueses por enfrentarem um “esforço que vai ser muito mais longo do que se pensava”, lembrando que a Saúde vai “para além do Covid -19 “Em Bragança, o surto da Santa Casa da Misericórdia matou mais duas pessoas, ambas utentes, um homem de 94 anos e uma mulher de 88 anos. O número de mortes subiu para oito, sete mulheres e um homem, entre 78 e 95 anos. Estão ativos 141 casos, entre 108 usuários e 33 funcionários.

Marcelo premia primeira equipe a lidar com o vírus
O Presidente da República condecorou o médico Miguel Abreu e mais três profissionais do Hospital de Santo António, do Porto, a primeira equipa a tratar um doente com Covid-19 no país. A Ministra da Saúde, Marta Temido, elogiou o seu trabalho num contexto “extremamente duro”.

.js">

Médicos deixam alerta por falta de condições
O Sindicato dos Médicos da Zona Sul aconselha os clínicos do Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central (São José, Capuchos, Santa Marta, Estefânia, Curry Cabral e Alfredo da Costa) a pedirem “desculpa da responsabilidade civil” por falta de condições. “O SMZS orienta todos os médicos que veem a assistência aos pacientes dificultada pela falta de condições para a prática médica de acordo com a ‘legis artis’ que coloca a ata de ‘desculpa de responsabilidade civil’ como forma de expressar seu desacordo com a atual situação ”, diz o sindicato, sublinhando que o recente aumento de doentes internados com Covid-19 se faz“ à custa de leitos destinados a doentes ‘não cobertos’ e sem um reforço adequado do número de médicos, colocando em risco o atendimento ”a todos os pacientes.

Carlos Henrique

"Introvertido amigável. Estudante. Guru amador de mídia social. Especialista em Internet. Ávido encrenqueiro."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Previous Post O Windows 10 receberá novidades em sua capacidade de copiar e colar
Next Post Vitória portuguesa na Itália: Guerreiro vence etapa e Almeida mantém Rose