Presidente Latam Brasil rejeita comparação com a Avianca e garante voos

O presidente da Latam Brasil, Jerome Cadier, disse que os voos da companhia aérea devem retomar normalmente após uma solicitação do grupo de recuperação judicial nos Estados Unidos nesta terça-feira (26). Segundo ele, o principal objetivo do processo é conseguir melhores condições para a negociação das dívidas da empresa, principalmente com o arrendamento de aeronaves. Mesmo com as negociações e a participação dos acionistas, o Grupo Latam precisará de mais US $ 1 bilhão para superar a crise.

A subsidiária brasileira de Latala não está entrando no processo, mas pode se beneficiar de reduções de custo. Por outro lado, se não houver solução para o problema financeiro da empresa, isso afetará a operação da subsidiária brasileira.

Cadier também reagiu a uma declaração do ministro da Economia Paul Guedes divulgada na semana passada. Guedes disse que “não haverá molezinha para a companhia aérea”. Para tentar sobreviver à crise coronavírus, as companhias aéreas estão negociando um empréstimo com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). O CEO Latam Brasila disse que “a molezinha nunca foi nossa realidade aqui”.

“Sem comparação com a Avianca Brasil”

O executivo disse que a maioria das aeronaves que voam no Brasil tem contratos de leasing assinados por uma holding chilena. “Enquanto a América Latina entra no capítulo 11 [referência à lei norte-americana que trata de recuperação judicial]”A Latam é capaz de negociar dívidas e contratos de leasing e lucrar com a operação no Brasil”, afirmou.

Cadier disse que a situação atual da empresa é completamente diferente do que aconteceu com a Avianca Brasil no ano passado. Após recuperação judicial, a Avianca Brasil suspendeu todas as suas operações.

“O mercado deve estar calmo, porque a diferença de água para vinho é do que está acontecendo hoje e do que aconteceu no passado [com a Avianca Brasil]Quando Oceanair [razão social da Avianca Brasil] entrou em recuperação devido a problemas em sua gestão. A Latam não entra nessa solução para nada relacionado à administração, pelo contrário. Essa crise está afetando todas as empresas do setor. Não apenas no setor de aviação, mas também no turismo ”, afirmou.

A empresa afirmou que todas as suas subsidiárias continuarão a operar voos de passageiros e de carga e que todos os bilhetes atuais e futuros, vouchers de viagem, pontos do programa e benefícios do Latam Pass, bem como políticas flexíveis, serão respeitados.

“Os passageiros podem comprar bilhetes, usar e acumular milhas no programa de fidelidade do Latam Pass. Os funcionários também recebem pagamento, os fornecedores receberão o serviço que prestam. É uma garantia que temos que ir porque tem dinheiro, tem uma solução para equalizar tamanho empresas e acionistas se comprometem a investir dinheiro na empresa ”, disse Cadier.

Latam Brasil será atingido se não houver solução

Embora a Latam Brasil não esteja em processo de reorganização do judiciário, se o grupo não encontrar uma solução para as dívidas, também poderá afetar as operações brasileiras. “A estrutura organizacional das empresas não mudou. O Grupo Latam continua sendo o proprietário de 100% dos negócios da Latam Brasil, independentemente de o Brasil estar no capítulo 11 ou não”, disse Cadier.

O presidente Latam Brasil, no entanto, diz acreditar que a empresa tem um grande potencial para encontrar soluções para seus problemas de dívida e negociar contratos. “O grupo deu ontem um sinal super poderoso de que ele tem a chance de sair [da crise]”, Ele disse.

O Grupo Latam possui US $ 1,3 bilhão em dinheiro e os acionistas (Qatar Airways e as famílias Cueto e Amaro) se comprometeram a emprestar outros US $ 900 milhões. “Este é um sinal muito forte dos acionistas, que estão investindo dinheiro na empresa, ao contrário de alguns países onde apenas o governo vem ajudar”, disse Cadier.

O grupo precisa de mais um bilhão de dólares

Mesmo com a renegociação de dívidas e contratos e essa nova contribuição dos acionistas, o Grupo Latam precisará de capital adicional de US $ 1 bilhão para superar a crise. “Esse bilhão de dólares virá da cooperação dos governos chileno, brasileiro, peruano e colombiano. Por fim, investidores que analisarão essa estrutura de contribuição financeira com prioridade”, estimou o presidente Latam Brasil.

No Brasil, Latam, Gol e Azul estão negociando financiamento com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) de aproximadamente US $ 2 bilhões para cada empresa. Para dar uma contribuição, as empresas ainda estão negociando os termos finais do contrato.

A Brazil Airlines nunca teve uma “molezinha”

Em uma reunião ministerial de 22 de abril, cujo vídeo foi divulgado na semana passada, o ministro da Economia Paulo Guedes chegou a dizer que “não haverá molezinha para a companhia aérea”.

Kadijer respondeu ao ministro. “A companhia aérea no Brasil tem tudo, menos um pouco de história. Foi apenas nesta semana que vimos o governo decidir aumentar o imposto de leasing para 15% no próximo ano, o que nunca pagamos desde 1996, e o governo decidiu começar a cobrar as companhias aéreas. ‘Molezinha’ aqui nunca foi nossa realidade ”, afirmou.

Redução e demissão da frota

O presidente Latama estima que a empresa, mesmo com a retomada gradual dos vôos nos próximos meses, feche o ano com uma redução de 30% a 40% em sua capacidade em relação ao período anterior à crise. Como resultado, muitos aviões devem permanecer estacionários no chão. O processo de reorganização dos tribunais permite, por exemplo, que as empresas rescindam contratos de arrendamento sem pagar multas.

Em alguns casos, o executivo estima que será possível negociar com empresas proprietárias da aeronave para que os aviões não sejam devolvidos na íntegra. Portanto, os contratos poderiam ser retomados após o retorno da demanda.

Até então, porém, o presidente Latam Brasil disse que teria que negociar a situação dos funcionários. A empresa chegou a um acordo com os sindicatos para não demitir ninguém até o final de junho. Durante esse período, boa parte da empresa ficou em licença não remunerada. “Vamos estudar o que fazer em julho. Pode ser uma redução ou extensão de férias não remuneradas”, disse Cadier.

Arquivos latino-americanos de falência

Notícias da banda

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Turno Zero