Sobe para 10 o número de mortos por queda de pedra em um lago no Brasil

O número de mortos em um acidente em um navio de cruzeiro em um lago brasileiro subiu para 10, disse a polícia no domingo. Oficiais trabalharam para identificar os mortos, e muitos outros revistaram Divers Lake se foram afetados.

O chefe de polícia Marcos Pimenta disse que algumas pessoas podem ter desaparecido após o acidente de sábado em Minas Gerais. Pelo menos 32 pessoas ficaram feridas, a maioria das quais recebeu alta dos hospitais na noite de sábado.

O acidente ocorreu entre as cidades de São José da Barra e Capitólio de onde partiram as embarcações. Imagens de vídeo mostram pequenos barcos se juntando perto do penhasco limpo do Lago Furnace, quando uma rachadura apareceu na rocha e um grande pedaço virou em vários navios.

Os corpos foram levados para a cidade de Passos, onde os legistas trabalharam para identificá-los. O delegado regional da Polícia Civil, Marcos Pimenta, disse que o trabalho foi difícil devido ao “impacto de alta energia” da rocha sobre as embarcações. Ele disse que a vítima foi identificada como Julio Borges Antoines, de 68 anos.

Lago do Forno, criado em 1958 para estabelecer uma usina hidrelétrica, é um destino turístico popular localizado a aproximadamente 420 quilômetros (260 milhas) ao norte de São Paulo.

Autoridades disseram que o muro pode ter desmoronado porque as fortes chuvas recentes causaram inundações no estado e deixaram 17.000 pessoas desabrigadas.

Diego Antonelli, chefe da divisão de geografia aplicada do Serviço Geológico Brasileiro, disse que a parede do penhasco está sujeita à erosão há séculos e está sujeita a chuva, calor e frio.

“Em muitos vales, mesmo com rochas desse tamanho, isso é normal. Mas hoje em dia, com a intensificação do turismo, as pessoas estão se aproximando desses lugares e começando a registrar esses eventos com o celular”, disse Antonelli.

Jonah Fondes, professor de geografia da Universidade Federal de Goa, disse que as autoridades devem restringir a área para evitar acidentes, especialmente durante a estação chuvosa. Ele disse que os barcos devem ser mantidos a pelo menos um quilômetro (0,6 milhas) de distância das quedas onde ocorreu o acidente.

___

O videojornalista Marcos Limondi e o fotógrafo Igor do Vail contribuíram para a reportagem do Capitólio, Brasil.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero