Vale a pena o Galaxy A51? Revisão, câmera, tela, bateria e muito mais

Não há Galaxy S20, Galaxy Note 10 ou algo parecido: um dos telefones mais vendidos da Samsung do ano é o intermediário, e o mais barato é o Galaxy A51. Mas vale a pena ser classificado entre os mais populares do mundo? Ele questionou Viés, carrega os elementos positivos e negativos típicos de uma categoria de telefone celular.

O A51 foi introduzido no Brasil em janeiro por 2.199 R e atualmente pode ser encontrado em torno de 1.900 R. O preço não caiu tanto em seis meses como costuma acontecer com os dispositivos Samsung, talvez porque suas vendas estejam indo tão bem.

Desde então, entrou em várias listas telefônicas internacionais mais vendidas, sempre (muito) atrás do iPhone 11, mas alternando o segundo e o terceiro lugar com seu rival direto Redmi Note 8 na lista de várias empresas de análise de mercado, como Om dan e Canalys.

Seu antecessor, o Galaxy A50, já apareceu bem posicionado nas listas do ano passado em vendas e demanda. É uma aposta da Samsung que conseguiu transformar a linha J base em parte da linha Galaxy A.

O A51 possui vários elementos de telefones celulares de última geração – a tendência dos fabricantes de convencer os consumidores a comprar um dispositivo de gama média, em vez de gastar os celulares em aparelhos mais caros.

Mas também vem com problemas que decepcionam um pouco, dificultando a conquista da posição “rei dos custos e benefícios”, contestada pelos dispositivos das linhas Motorola Moto One e Moto G, além do Xiaomi Redmi Note 9, entre outros. de outros.


descoberta

benefícios

  • Design superior típico
  • Câmera traseira com um grande número de lentes
  • Ótima tela para visualização de conteúdo

Pontos negativos

  • Preço um pouco alto para se tornar o “rei da rentabilidade”
  • A câmera frontal não se sai muito bem nas fotos à noite
  • O desempenho pode ser melhor para um telefone intermediário

Julgamento

O Galaxy A51 é uma boa opção para quem não quer gastar muito dinheiro em telefones de última geração. Ele tem um design legal e uma ampla seleção de câmeras. Mas decepcionante no desempenho.

Um dos principais elementos que dá um toque no topo da linha A51 é o seu design, que não deve nada aos dispositivos mais caros. Na verdade, ele e seu irmão, o A71, foram os primeiros telefones da Samsung a ter a aparência que adotava mais smartphones turbo, como o S20.

O A51 vem com uma traseira elegante e agora um quadro de câmera traseira tradicional, que começou com o iPhone 11 e já se tornou moda entre os telefones celulares por aí. Costas brancas têm efeitos de luz que adicionam beleza ao dispositivo.

Papel de parede Samsung Galaxy A51 - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Papel de parede Samsung Galaxy A51

Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

O design geral lembra muito os telefones celulares de última geração. É um aparelho grande, mas ao mesmo tempo fino, o que ajuda na usabilidade. Na frente, o estilo adotado pela A51 é o estilo de furo na tela central e pequeno para a câmera frontal.

Se for grande, também é uma ótima tela para visualizar diferentes tipos de conteúdo no seu dispositivo. Quem gosta de assistir a série ou brincar com seus telefones celulares não ficará desapontado a esse respeito.

Ele possui uma tela de 6,5 polegadas (16,5 cm), com resolução Full HD + e qualidade Super Amoled, que proporcionam brilho e qualidade de tela agradável.

Como eu estava em casa a maior parte do período testado, não usei meu telefone celular tanto para assistir a serviços de streaming, mas quando vi algum conteúdo, não fiquei desapontado.

A lógica de ficar em casa e, portanto, não usar tantos recursos de telefones celulares também se aplica às câmeras. A menos que eu fotografasse meus móveis ou rosto, não tinha muitas oportunidades para tirar fotos com meu telefone celular.

Câmera principal do Galaxy A51 à noite sem modo noturno - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL
Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Câmera principal do Galaxy A51 à noite com modo noturno - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Câmera principal do Galaxy A51 à noite com modo noturno

Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Apesar disso, fiz o possível para testar um pouco as câmeras do dispositivo. Existem nada menos que quatro câmeras traseiras (uma principal, uma grande angular, uma profunda e uma lente macro), além de telefones rivais como o Redmi Note 8. O que eu mais gostei no dispositivo é esse: a variedade entre os diferentes modos de fotografia,

Câmera principal traseira Galaxy A51 - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Câmera principal traseira Galaxy A51

Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Lente grande angular traseira Galaxy A51 - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Lente grande angular traseira Galaxy A51

Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Quando saí, tirei fotos com a A51 e gostei. Ele tolera bem a luz do sol e o contraste das imagens é bom, embora o Motorola One Vision seja melhor em contraste em alguns cenários. A câmera principal ainda possui um modo noturno útil, mas não serve para telefones de última geração.

Lente grande angular Galaxy A51 com modo noturno - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Lente grande angular Galaxy A51 com modo noturno

Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Lente grande angular Galaxy A51 sem modo noturno - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Lente grande angular Galaxy A51 sem modo noturno

Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Além dos modos já conhecidos de grande angular (que aumenta a área capturada na foto) e profundidade (que desfoca o fundo), a A51 também possui uma lente macro, que visa melhorar os detalhes das fotos tiradas perto de um objeto. Ao testar uma câmera com uma foto doce, a diferença na lente usual é óbvia, mas não na medida em que esse método o encantaria.

Foto com lente macro Galaxy A51 - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Foto macro do Galaxy A51

Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

A câmera selfie, por sua vez, é única com uma resolução de 32 MP. Ela pintou bem em ambientes claros e está muito satisfeita. Com pouca luz, as fotos não são de boa qualidade.

Selfie com o Galaxy A51 ao sol - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Selfie com o Galaxy A51 ao sol

Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Foto à noite com câmera frontal Galaxy A51 - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL - Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Tiro noturno com a câmera frontal Galaxy A51

Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro / UOL

Possui um modo de desfoque de fundo produzido pelo software que reconhece apenas rostos. Fui testá-lo na rua com uma máscara no rosto e, claro, o recurso não funcionou no final – obviamente não acabei de pensar em uma pandemia.

O aspecto do telefone celular que mais me decepcionou foi o desempenho. Não é tão ruim quanto a maioria dos celulares, mas eu esperava mais por um dispositivo com um preço inicial de mais de US $ 2.000.

Não é que o desempenho seja realmente ruim. O telefone celular não falha, apenas fecha programas ou similares, mas seu uso é mais lento que o esperado ou com algum sufocamento de aplicativos.

Certamente, estamos falando de um telefone intermediário e você não deve esperar que esteja no topo da linha, mas para mim ainda me incomodou mais do que o habitual para dispositivos nessa faixa de preço.

Com uma bateria de 4.000 mAh, o A51 não deve decepcionar. Ok, ok, novamente meu teste foi diferente porque eu não saí na rua e fiquei fora de casa o dia todo, mas o smartphone ainda mostrava potencial.

Usei muito mais fácil do que usaria fora de casa: forçou-me a abrir redes sociais uma vez ou outra durante o dia (o WhatsApp está basicamente conectado apenas na web), joguei alguns jogos, tirei fotos. Nesse desempenho leve, a bateria durou dois dias.

Em tempos normais, deve demorar cerca de um dia para sair da tomada, com pouco espaço para o dia seguinte.

O Galaxy A51 vem com um leitor digital embutido na tela do telefone, bem como a última linha da Samsung. O recurso funcionou bem para mim, embora seja menos preciso do que em telefones mais caros.

Assim como o A50, o modelo brasileiro de celular vem com uma TV digital embutida – o que deve agradar o público ansioso por consumir canais abertos sem usar o tráfego da rede na Internet.

O Galaxy A51 não é exatamente um telefone barato, vamos enfrentá-lo. Com um preço inicial de mais de US $ 2.000 e uma queda tímida em comparação com seu smartphone, perde pouco com o apelo do “rei dos custos e benefícios”.

No entanto, por um lado, existem muitos requisitos para agradar ao usuário: um design digno de primeira linha, muitas opções de fotografia, uma tela que nada quer ser desejada … O que faltava, para a Samsung, era um melhor desempenho no trabalho, que deveria ser melhor pelo preço.

Sua presença entre os celulares mais vendidos do mundo, no entanto, é justificada: nos momentos em que comprar o topo da linha é impraticável para a maioria das pessoas, o Galaxy A51 atua como um meio termo entre o básico e o mais caro. .

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero