A empresa brasileira produz tecnologia que ajuda a caçar o terrorismo e evitar sequestros

Inclinação – Por outro lado, você também possui a tecnologia de reconhecimento de bebê.
João Weber –
Este projeto de reconhecimento de recém-nascidos é muito legal. Hoje, no Brasil, a questão da mudança do bebê na maternidade é um problema muito presente. Infelizmente, isso ocorre com muita frequência. Há seqüestros de crianças em maternidades, vendas de crianças e comércio internacional.

Declive – Você se sente responsável pela separação da família?
João Weber –
Este é um problema muito sério e não tem consequências que deveria ter. Isso cria um enorme inconveniente para as famílias e para o próprio bebê. De tempos em tempos, você vê notícias sobre pessoas sendo trocadas na maternidade e descobre isso 30 anos depois. A biometria para identificar um recém-nascido tem um enorme benefício para a sociedade, pois a mãe que sai da maternidade tem certeza de que o filho é realmente dela, enquanto evita atos criminosos. Garantir a segurança e a identidade do recém-nascido desde o nascimento é fundamental.

Um exemplo é o que aconteceu no distrito federal. Eles encontraram um recém-nascido abandonado no beco. Como reconhecer? É difícil. Se você não tem biometria para bebês, não pode. Nesse caso, eles pegaram o golpe e encontraram o hospital de onde ele veio. Eles conduziram uma investigação e encontraram um fragmento da impressão digital da mãe. Graças a isso, eles identificaram a mulher que abandonou a criança. Se já houvesse um sistema que registrasse a palma da mão de uma criança, seria mais fácil evitar casos de abandono. Hospitais de Minas Gerais foram os primeiros [a instalar esse recurso], mas hoje existem outros que aderem à nossa tecnologia.

Slope – Como funciona?
João Weber –
Usamos a palma da mão porque as impressões digitais do recém-nascido ainda são muito pequenas. Você precisa de equipamento muito caro e muito difícil de ler uma impressão digital. Usamos leitores mais baratos para registrar impressões digitais de adultos. A palma do bebê se encaixa perfeitamente.

A coleção de impressões de mãos foi feita no momento do nascimento e está vinculada à Declaração de nascimento vivo da criança. O sistema também vincula os dados biométricos da mãe que já está registrada. Isso garante que, ao sair da maternidade, você saiba quem é o bebê e quem é a mãe responsável pelo bebê.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Turno Zero