Turno Zero

Notícias Completas mundo

A vacina contra meningite B agora é gratuita para crianças até um ano de idade

Quatorze anos após a introdução da vacina contra a meningite C no Programa Nacional de Vacinação (PNV), a vacina contra a meningite B – o subtipo mais comum nos casos de doença meningocócica invasiva detectados em Portugal e na Europa na última década – agora é também gratuita para crianças no primeiro ano.

A expansão do PNV, que agora inclui essa vacina, mas também a vacina contra o papilomavírus humano (HPV) para meninos e a vacina contra o rotavírus, vai entrar em vigor hoje, confirmou ontem o diretor-geral de saúde.

Isso já era esperado e aqui a pandemia não mudou de círculo até a data anunciada pelo Governo no final do ano passado. No caso da vacina contra meningite B, as crianças nascidas em 2019 poderão obtê-la gratuitamente nos centros de saúde e, se já a iniciaram, poderão completá-la com PNV aos cinco anos. A vacina do HPV, até então coberta pelo PNV apenas para meninas, para prevenir o câncer de colo do útero, foi estendida aos meninos, após agregar valor na prevenção do câncer oral e das lesões genitais anuais na última década. Deve ser administrada antes do início da vida sexual e será administrada a meninos de 10 anos, começando com crianças nascidas no primeiro semestre de 2009. A vacina contra rotavírus será administrada a grupos de risco ainda não publicados pela SBS e progride em dezembro porque a vacinação contra gripe está agora em processo.

A prorrogação do PNV com essas três vacinas foi aprovada pela Assembleia da República no debate sobre o Orçamento do Estado para 2019. Na época, a decisão, fora da SBS e do Ministério da Saúde, gerou polêmica. Seguiu-se a avaliação técnica da Comissão Nacional de Vacinação, tendo sido garantida a inclusão no OE deste ano, com um reforço de 10,9 milhões de euros no PNV para garantia da compra da vacina. Foi garantido que as crianças nascidas em 2019, ano em que a medida entraria em vigor, não foi estipulado reembolso para aquelas que já tinham a vacina indicada no primeiro ano de vida (o esquema vacinal terá três doses para ambos, quatro e 12 meses). A vacina nas farmácias custa 95 euros por dose, o que para as famílias representa até agora um custo de 285 euros, uma vez que já foi recomendada por pediatras. A vacina contra o rotavírus, que previne casos de gastroenterite aguda, custa 57 euros. A vacina contra o HPV, ainda menos prevalente em meninos, custa atualmente 136 euros a dose.

.js">

Jorge Amil Dias, presidente da Faculdade de Pediatria da Ordem dos Médicos, vê a extensão do PNV como um “passo positivo”. O médico reconhece que os custos foram altos e que crianças nascidas antes de 2019 e não vacinadas poderiam se beneficiar, mas argumenta que é compreensível que haja uma fase de fase. “Como pediatras, mais do que tratar crianças, queremos evitar que adoeçam. Embora sejamos o grupo de bactérias mais comum, estamos falando de uma doença rara. Em um mundo ideal, demos todas as vacinas aos nossos filhos. Mas se você comprar caviar, sei que sentirá falta das batatas. Com as restrições financeiras existentes, é compreensível gerenciar os recursos com moderação à luz dos benefícios. ”

O médico prevê que o estado, ao comprar vários milhares de doses, tende a atingir valores menores, o que também pode afetar os preços, pois ainda é incerto. “O envolvimento no PNV nem sempre é bom para os produtores, eles sabem que os preços que vão negociar com o estado serão mais baixos desde o início. Se houver uma redução muito grande na demanda, é provável que reduza a margem de lucro.

De acordo com a última estimativa do Instituto Ricardo Jorge sobre a doença meningocócica invasiva em Portugal, publicada em abril, ocorreram 766 casos entre 2007 e 2016 – 2016 foi o ano com menos diagnósticos, num total de 42 casos. A maior frequência é no primeiro ano de vida.

Os casos associados ao meningococo C, que antes da vacina chegavam a mais de 100 por ano, agora são residuais, e em 2016 não havia nenhum. O grupo B representa 78,2% dos casos, e o grupo W e o grupo Y o restante. Em 2016, último ano com análise detalhada dos dados, duas crianças morreram de doença meningocócica invasiva no país. Entre 2003 e aquele ano, concluiu o INSA, houve 102 mortes. No início do milênio, eram mais de 20 mortes por ano – 27. 2000. O número de mortes começou a diminuir principalmente com o uso da vacina contra meningite C, que começou a ser comercializada em 2001 e foi incluída no PNV há cinco anos. depois de. Este fim de semana marca o 55º aniversário do Programa Nacional de Vacinação. Foi criado em 4 de outubro de 1965, naquela época com uma prioridade: o combate à poliomielite. O último caso foi descoberto no país em 1986, e a doença foi oficialmente declarada eliminada em 2002.

Gabriel Ana

"Estudante apaixonado. Nerd do Twitter. Viciado em bacon ávido. Desordeiro típico. Pensador. Webaholic. Empreendedor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Previous Post Mercado: Rúben Semedo mais longe da Luz, o FC Porto levanta proposta de Pepê e Man. United avança por Dembélé – Mercado
Next Post WWE NXT (30/09/2020): A caminho de TakeOver