Aras é um nome forte para uma possível terceira vaga no Supremo Tribunal, diz Bolsonaro – 28.05.2020. – Poder

O presidente Jair Bolsonaro disse na noite de quinta-feira (28) que o procurador-geral da República, Augusto Aras, atualmente responsável por investigações com um possível cargo executivo, é um nome forte que pode apontar para ele desafiar um possível terceiro cargo para o STF. corte federal).

“Se surgir uma terceira onda – espero que ninguém desapareça -, mas Augusto Aras está fortemente na terceira onda”, disse Bolsonaro, que alternava sua entrevista semanal com uma entrevista à rádio Jove Pan, também transmitida em suas mídias sociais.

Os ministros Celso de Mello e Marco Aurélio terão uma pensão obrigatória em juízo no atual mandato da Bolsonar, e deverão ser substituídos pelos nomes estabelecidos pelo atual presidente – em novembro deste ano e em 2021.

Um terceiro lugar para a nomeação de Bolsonar poderia surgir no caso de sua reeleição, por exemplo, a saída não intencional de um membro da corte ou sua morte.

Bolsonaro rejeitou a indicação de Aras para uma das duas primeiras vagas, mas a chamou de opção futura.

Como Folha, depois que Sergio Moro deixou o Departamento de Justiça, Bolsonaro começou a avaliar a hipótese, mas disse aos aliados que a indicação dependeria de sua atitude em relação ao governo.

Aras escolheu Bolsonaro para o PGR e assumiu posições favoráveis ​​ao presidente. Nesta semana, ele pediu a suspensão da investigação de notícias falsas e criticou a ordem do ministro do STF, Alexander de Moraes, de agir contra aliados bolcheviques.

Bolsonaro disse na quinta-feira que a nomeação de Aras não estava prevista para as duas primeiras competições. Mas ele concordou: “Normalmente digo que tenho três nomes e não vou revelar com quem tenho uma data para indicá-lo ao STF”, disse o presidente, que mais tarde reconheceu o atual PGR como citado.

Bolsonaro reafirmou que um dos ministros que ele deve nomear para o Supremo Tribunal será evangélico. “É uma obrigação que tenho com o grupo evangélico. Alguns o criticam dizendo que é a religião errada lá. Não tem nada a ver com isso”, disse ele. “Agora, uma sugestão de religiosidade é muito bem-vinda. Existe uma agenda que, na minha opinião, faltava a um ministro para se defender à luz de sua convicção. Por que não?”

Bolsonaro citou seu atual ministro da Justiça, André Mendonc, que é evangélico e já está sendo citado.

No programa, o presidente também falou pela primeira vez sobre a negociação dos cargos que começou a trabalhar com o centão, em vez de “aceite, dê aqui”, que condenou na campanha de 2018.

Bolsonaro disse que “a imprensa sempre me queixou de que não tenho diálogo, não consigo governar” e foi por isso que ele procurou o centro, um grupo conhecido por apoiar o presidente na ocasião em troca de posições.

“Sim, alguns querem posições. Não vou negar isso. Alguns, nem todos. Agora, em nenhum momento oferecemos ou pediram ministérios, um estado ou um banco oficial”, disse o presidente.

Bolsonaro também reconheceu que as negociações incluem as eleições de 2022.

“Trocamos pontos de vista sobre isso. Sim, servimos a alguns partidos, discutimos as eleições de 2022. Se estou bem em 2022, alguns parlamentares desses países têm interesse em ter seu próprio candidato ao governo, se eu puder entrar neste acordo em alguns estados do Brasil “, disse Bolsonaro.

O presidente justificou o acordo eleitoral dizendo que ele é forte nos países do nordeste da região do PT e que os candidatos precisarão de sua ajuda.

“Existem estados que, sabemos aqui, não terei o poder de eleger a pessoa que ele nomeou para lá e conversamos: ‘olha, apoio, aqui neste estado, qual é o perfil do seu governador? É isso.” Estou bem, se sou candidato à reeleição, tudo bem “, disse Bolsonaro.

“Especialmente no nordeste, o PT era forte. Você pega quase todos os estados, o PT é muito forte e, para vencê-los, é preciso acrescentar todas as forças do outro lado. E, para mim, com todo o respeito que tenho pelo parlamento brasileiro, prefiro parlamentares. desses outros partidos que não do PT ”, afirmou.

MINISTROS RESIDENTES NO GOVERNO BOLSONAR

Somos uma empresa de propriedade e operação familiar.Celso de Mello

Sarney o nomeou Decano da Suprema Corte em 1989. Sua aposentadoria compulsória ocorre em 1.2020, quando ele completa 75 anos.

Marco Aurelio

Collor, nomeado em 1990, se aposenta em 12 de julho de 2021, se aos 75 anos de idade for mantido como serviço público.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Turno Zero