“Irmã chorando”: o projeto faz um protetor facial para agentes periféricos

Agentes de saúde de Jardim Wengel, sul de São Paulo, usam máscaras produzidas na campanha Favela Maker (Press Release / Periferia Sustentável)

O Laboratório de Periferia Sustentável, um laboratório de tecnologia sustentável, está apostando na produção e doação de máscaras faciais para fortalecer o trabalho dos agentes de saúde que trabalham no bairro do município de Jardim Vengela, sul de São Paulo, por meio da campanha do Favela Maker. mobilizando doadores de matérias-primas, a iniciativa já conseguiu produzir e doar mais de 350 máscaras para profissionais da saúde e líderes comunitários que estão na vanguarda da luta contra a covid-19.

Por Tamires Rodrigues

À beira da favela Jardim Nakamura, no sul de São Paulo, o rio Rogoznica Instituto da Paz na Favela há mais de 20 anos mantém um espaço sociocultural com vários projetos que disseminam novas culturas de educação, proteção ambiental, produção musical, alimentação e novos paradigmas de relações humanas e produção de energia.

Um dos projetos que atende a essa meta é Laboratório periférico sustentável, uma iniciativa que pesquisa, desenvolve e divulga experiências com tecnologias de código aberto baseadas em fontes de energia renováveis, como biodignose, energia solar e permacultura. Durante a pandemia de coronavírus, o projeto tornou-se um pilar de apoio aos trabalhadores de saúde do bairro na região de Jardim Vengela.

Inspirado pelo poder transformador da tecnologia de código aberto, o músico e inventor Fabio Miranda, 41 anos, morador de Jardim Nakamura, responsável pela criação do Laboratório de Periféricos Sustentáveis, examinou sua impressora 3D e máquina de corte a laser e decidiu produzir máscaras (escudos) para fortalecer o trabalho de enfermeiros, médicos, agentes comunitários de saúde e promoção ambiental, profissionais que estão na vanguarda da luta contra a covid-19 em territórios periféricos.

“A inspiração veio deste movimento criador, dessa rede colaborativa que é ‘faça você mesmo’ hoje e está aberta a todos. Foi assim que entrei na rede e começamos a produzir essas máscaras e, assim, realmente conseguimos oferecer suporte e segurança aos profissionais de saúde “diz o inventor.

Miranda usou sua capacidade de pesquisar e criar soluções para ajudar os profissionais que trabalham em unidades de atenção básica (UBS) na região. O ponto de partida foi um projeto para criar uma cultura chamada MeViro Space, que criou um arquivo aberto em suas redes sociais e site para quem quiser e possui um cortador a laser para fazer uma máscara no formato de um rosto protetor.

Como o cortador a laser já existe no laboratório, Miranda e amigos o criaram Campanha Favela Maker coletar doações de matérias-primas – como placas, placas de acrílico de 3 mm e rolos elásticos de 9 mm – para iniciar a produção de máscaras.

A iniciativa já distribuiu mais de 350 unidades de máscaras para os trabalhadores da saúde que trabalham em cinco unidades básicas de saúde da região. Como critério de seleção, a campanha selecionou os serviços públicos de saúde com maior escassez no estoque de equipamentos de proteção individual.

“Já havia uma situação em que as enfermeiras estavam chorando e agradecendo pelo apoio. Acho que é isso, coloque a cabeça no travesseiro e diga: diabos, hoje ganhei com esse profissional”, diz Miranda.

Doação de máscaras para a equipe de médicos, enfermeiros e agentes de saúde social Jardim Wengel (Press release / Periferia sustentável)

A reação dos trabalhadores da saúde

“O sentimento de gratidão foi o que a equipe sentiu ao receber essa doação”, diz Alexandre Neves, responsável pela proteção ambiental do Programa Ambiente Verde e Saudável (PAVS / CEJAM), na Unidade Básica de Saúde Jardim Nakamura. Segundo ele, os profissionais consideraram o equipamento de proteção individual doado como “excelente qualidade”.

Neves atua como articulador nas unidades básicas de saúde de Jardim Vengela, construindo parcerias com coletores de materiais recicláveis ​​e supervisionando os casos de notificação Suvis, em institutos, escolas, igrejas e serviços de assistência social, como o Children’s Center e adolescentes (CCA) e o Center for Older Life (NCI).

Para Neves, a iniciativa Favela Maker não é apenas um apoio a enfermeiros e médicos, mas também a todos os profissionais que contribuem para a condução do trabalho educativo no território durante uma pandemia, fornecendo diretrizes para o cuidado no combate ao vírus 19.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply


Copyright © turnozero.com.
turnozero.com is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
Turno Zero