Juliana Bonde, a cantora de bolso que recriou Guga na banheira – 6 de setembro de 2020

Sempre atenta aos movimentos do show business nacional, Coluna Chico Barney passou vários meses assistindo à ascensão à fama de Juliana Caetano, vocalista da banda Bonde do Forró.

Além de uma voz alta que encanta os ouvidos, ele também é bem-sucedido no Instagram, graças a uma personalidade pitoresca que parece vir diretamente de qualquer uma dessas cópias do Escolinho para o professor Raimundo que o SBT, Record ou Band mostrou no final dos anos 90.

Assumindo uma “garota inocente de vestido curto”, ela responde a perguntas de fãs que nem sempre são elegantes.

“Fiz uma homenagem a você hoje”, escreveu o cara em um recente vídeo viral. “Você diz que respeita, mas ele não chega. Ele não chega. Você envia para onde estão os dinamarqueses?”, O cantor respondeu honestamente, duvidando da eficácia do correio.

Em outra passagem que se tornou popular nos últimos dias, Juliana explica seus desejos futuros: eles simplesmente não existem. “Sou muito grato a Deus porque já realizei todos os meus sonhos. Não tenho mais nada. Sonhei em ter uma piscina, uma banheira e cabelos compridos. Já consegui tudo.”

Pode parecer uma versão real de Marde Marth Orth da Magda, mas é um personagem cuidadosamente criado em laboratório. Ourivesaria que funciona mesmo com Caco Antibes. Conversar com o público é suficiente.

Por trás do clima aparentemente inocente, tão antigo quanto o antigo e querido banco da Praça é Nossa, está a perspectiva da condição humana. O cachecol não é com Julian, mas com companheiros. E o niilismo corrosivo expande seus tentáculos.

A banda realizou um show ao vivo no mês passado, no qual eles pararam sucessos como “Program Girl”, “Girl Love” e “Tom on Pepek”. Mas o foco estava na última parte do evento, quando houve um evento reedição da banheira de Gugu.

“Pare de dizer que é vulgar. Não! É uma honra para Gugu, que morreu no ano passado em casa. Fique em casa, pessoal!”, Ele exclamou a certa altura. É algo muito mais próximo do trabalho de Eric Andrea, muitas camadas de perversão e crítica social por dentro, do que qualquer personagem de Zezé Macedo.

Juliana participou ativamente da campanha Jair Bolsonaro em 2018. Ele desenhou um grupo de trabalho de votos como se estivesse torcendo por um reality show, tirando uma foto em roupas com o rosto do político impresso nelas e lançou vídeos que dizem que outros artistas eram contra os candidatos por causa da Lei RouanetMais recentemente, em março, convocou manifestações a favor do governo, já durante a pandemia.

Como o conselho de Jaira, o artista entende muito bem como a Internet funciona. Com práticas aparentemente simples, mas muito bem pensadas, alcança relevância crescente. A estratégia já garantiu mais de 4 milhões de seguidores no Instagram.

E hoje existem apenas 6 perfis: fã-clubes, a própria banda e o atual presidente da República.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Turno Zero