Singapura distribuirá um dispositivo para monitorar o coronavírus à população em 06.06.2020

John Geddie e Aradhana Aravindan

CINGAPURA (Reuters) – Cingapura planeja fornecer um dispositivo para identificar pessoas que interagiram com portadores de coronavírus a cada um de seus 5,7 milhões de habitantes, o que pode se tornar um dos esforços mais abrangentes de rastreamento de contatos do mundo.

O teste de dispositivos pequenos, que podem ser usados ​​no final da alça ou transportados em uma bolsa, é acompanhado pela adoção de um sistema anterior baseado em smartphones e por preocupações crescentes com a privacidade em torno da tecnologia de rastreamento.

A pequena cidade-estado, com o maior número de casos Covid-19 na Ásia, é um dos muitos países que tenta usar a tecnologia para permitir uma reabertura segura da economia.

O dispositivo, que será lançado em breve, não depende de um smartphone e pode ser distribuído a todos em Cingapura, disse Vivian Balakrishnan, ministro responsável pela iniciativa da nação inteligente, na sexta-feira.

O governo não especificou se deveria levar o dispositivo com ele.

O aplicativo anterior, TraceTogether, tinha problemas, especialmente em dispositivos Apple. Balakrishnan disse que conversas repetidas com a Apple não conseguiram resolver o problema.

Algumas empresas já adotaram dispositivos de rastreamento de contato em locais onde o uso de smartphones é limitado, enquanto governos como Bahrain e Hong Kong os usaram para monitorar pessoas em quarentena.

David Su, CEO da empresa de chips sem fio Atmosic, disse esperar que “vários governos, se não todos os governos da Ásia” adotem wearables, pois são uma maneira acessível e confiável de garantir o rastreamento automático de contatos.

Segundo o fornecedor, uma pulseira simples com chip bluetooth, bateria e memória pode custar cerca de US $ 10, ou talvez menos.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Turno Zero