Turno Zero

Notícias Completas mundo

Transferência bancária de Leiria para Sevilha ou Viena em segundos a um domingo? É possível a partir de agora

De Castelo Branco a Riga, Letônia. De Viana do Castelo a Viena, Áustria. De Lagos a Sevilha, Espanha. As transferências bancárias entre países que não a Zona do Euro poderão ser feitas a partir desta quarta-feira, 14 de outubro, em menos de 10 segundos. Seja segunda ou domingo. Seja o relógio às 10h ou às 22h.

As transferências imediatas são uma realidade em Portugal há mais de dois anos, mas agora são uma realidade em termos de moeda única, como o Banco de Portugal anunciou em comunicado: “A partir de hoje, é possível ordenar transferências imediatas para outros países da área do euro, com os fundos disponíveis na conta do beneficiário em poucos segundos.”

Este é um caminho de integração europeia que se fala há muito tempo, era esperado para setembro, se temia um atraso devido à pandemia, mas agora chegou em outubro. Assim, o sistema português adere ao sistema europeu, embora não na sua totalidade: “Neste momento, é possível fazer transferências imediatas de e para 14 prestadores de serviços de pagamento nacionais, que estão ligados a cerca de 4000 bancos europeus em Espanha, Alemanha, França, Itália, Áustria, Letónia e Holanda”.

A ideia é que esta integração seja possível em mais de 30 países no espaço SEPA, a chamada área de pagamento único (União Europeia, Islândia, São Marino, Noruega, Suíça, Andorra, Mónica e Liechtenstein).

Em Portugal, a SIBS, propriedade de bancos nacionais, dispõe de uma plataforma que permite estas transações. Está dentro Sistema de Compensação Interbancária que é operacionalizado estas transferências a crédito todos os dias da semana e do ano a todas as horas, e com fundos disponíveis em poucos segundos, esta solução nacional foi agora associada ao Eurosistema, o DICAS – Target Instant Payment Settlement, o que torna estas transações possíveis a nível pan-europeu.

.js">

A adesão ao sistema é voluntária, mas vai crescer

No entanto, afirma o Banco de Portugal, a participação neste sistema europeu integrado é voluntária. “A a adesão ao TIPS é opcional por parte dos prestadores de serviços de pagamento, pelo que, num primeiro momento, nem todas as instituições que operam no mercado nacional e europeu de serviços de pagamento a retalho vão oferecer esta solução aos seus clientes ”, admite o supervisor.

O mesmo aviso já tinha sido feito em Portugal quando, em 2018, ocorreram transferências imediatas a nível nacional. De facto, noutro comunicado, a SIBS disse que a comunidade bancária nacional já tem 95% das contas disponíveis no sistema que permite transacções imediatas.

Espera-se um aumento gradual da cobertura nos próximos meses, tanto ao nível das instituições participantes, como nos segmentos e canais onde o serviço é disponibilizado ”, acredita o supervisor nacional.

A presidente da SIBS, Madalena Cascais Tomé, concorda com a mesma perspetiva: “As transferências imediatas têm crescido e espera-se que a utilização desta ferramenta, que permite transferir dinheiro em poucos segundos e a qualquer momento, entre diferentes contas bancárias , acelerando ainda mais ”.

5 milhões de transferências imediatas de € 1.150

Especificamente em Portugal, “foram efectuadas mais de 5 milhões de transferências imediatas no último ano, o que representa cerca de 450 mil operações por mês, no valor de 520 milhões de euros por mês, com um valor médio de cerca de 1.150 euros”.

O supervisor liderado por Mário Centeno aconselha os clientes a contactar os seus prestadores de serviços de pagamento (de que o banco é o principal exemplo), para saber as condições. Isso ocorre porque as transferências imediatas têm custos.

Transações entre € 1,30 e € 2

Embora idênticas, estas transferências imediatas são mais caras do que as transações efectuadas pela MB Way (que são efectuadas através do número de telefone e não do IBAN), conforme já referiu o Jornal de Negócios.

Actualmente, de acordo com a consulta aos preços dos principais bancos, uma transferência deste tipo tem preços que variam entre 1,30 euros, no Santander, para as transferências permanentes, aos 1,50 euros da CGD e do Novo Banco (embora, neste último caso, o preço sobe 1 euro quando as transacções são superiores a 500 euros), 1,70 euros do BCP e 2 euros do BPI. A maioria dos bancos não tem a opção de transferências feitas no balcão. Não há diferenciação nas transferências nacionais e internacionais.

Daiana Juli

"Típico viciado em internet. Empreendedor. Leitor. Amante da web. Pensador. Futuro ídolo adolescente. Estudioso de Bacon. Aficionado por música."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Previous Post Cláudio Viana diz que Covid-19 é “um fio dental” em vídeo inusitado
Next Post Modern autorizado a pedir à União Europeia para comercializar vacina | Coronavírus