Um dia extraordinário, diz a primeira mulher a chegar ao ponto mais profundo da Terra – 10/06/2020

A mulher alcançou o ponto mais profundo da Terra pela primeira vez. No último domingo (7), a ex-astronauta da NASA Kathy Sullivan, 68 anos, visitou o Deep Depression Challenger, a cerca de 11.000 pés abaixo da superfície do Oceano Pacífico, na Fossa das Marianas, perto das Ilhas Marianas. A pressão no local é cerca de mil vezes maior que no nível do mar.

“Como um híbrido de oceanógrafos e astronautas, foi um dia extraordinário, um dia único na vida, vendo a paisagem lunar da Depressão Challenger e depois comparando notas com meus colegas da ISS sobre nossos extraordinários navios reutilizáveis”, disse Sullivan em comunicado.

Este não é o primeiro registro do ex-astronauta. Ela se juntou à NASA em 1978 e fazia parte da histórica missão STS-41-G, o sexto voo do ônibus espacial Challenger – uma combinação de nomes? – e a primeira a incluir duas mulheres a bordo. Em outubro de 1984, Sullivan foi a primeira mulher americana a andar no espaço, ficando três horas e 29 minutos fora da espaçonave.

Na jornada para o fundo do oceano, Sullivan foi acompanhado por Victor Vescov, um empresário que também é um explorador oceânico profundo. Ambos estavam no fator limitador submarino. O casal passou cerca de dez horas a bordo e a descida durou um total de quatro horas.

A aventura histórica fez parte da expedição do Anel de Fogo, organizada pela Caladan Oceanic de Vescovo. No ano passado, eles exploraram os cinco pontos mais profundos da Terra. Desta vez, a expedição teve como objetivo capturar a Depressão Challenger.

Logo após a aventura, o casal conversou com os astronautas atualmente na Estação Espacial Internacional (ISS), que também fizeram história viajando em uma nave espacial privada feita pela SpaceX.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Turno Zero