Bolsonaro resolve críticas a “terroristas”, mas ignora ações violentas dos fãs – Leonardo Sakamoto

Jair Bolsonaro terroristas marcados manifestações contra seu governo e pela democracia lideradas nos últimos dias por grupos antifascistas em cidades como São Paulo, Rio e Curitiba. No entanto, ele não reteve “elogios” iguais por atos a favor e contra a democracia, nos quais houve agressão por jornalistas. É por isso que acreditamos que é uma questão de agenda, não de prática. Para o Presidente da República, “terroristas” são todos aqueles que saem às ruas contra seu governo.

“Tudo começou com antifascistas no local. O motivo, na minha opinião, é político, diferente [dos protestos nos EUA]Eles são, na minha opinião, terroristas marginais. Eles ameaçaram no domingo que iriam se mudar para o Brasil, especialmente aqui no DF ”, afirmou nesta terça-feira à noite (2).

E ele comparou o país ao Chile novamente para justificar uma possível reação dura de seu governo – o que poderia incluir um estado de sítio ou coisa pior.

“Não podemos permitir que o Brasil se torne o que o Chile era recentemente. Não podemos admitir isso de lá. Não é democracia ou liberdade de expressão. Isso é, na minha opinião, terrorismo. Esperamos que esse movimento não cresça, porque o que menos queremos é enfrentar alguém ”, disse Bolsonaro.

Em 31 de outubro do ano passado, um de seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, foi severamente criticado por dizer que uma saída para o Brasil, se houvesse manifestações como o Chile, poderia dar ao executivo poder para fechar o Congresso, remover direitos e usar violência contra adversários. Em outras palavras, criar um novo ato institucional número 5, que iniciou a fase mais sombria da ditadura militar.

“Se a esquerda radicalizar, ‘o governo terá que dar’ uma resposta que poderia ser o novo AI-5”, disse ele. Agora, quem insinua que está seguindo o caminho que seu filho percorreu é Jair.

Mas o presidente não pediu manifestações estacionadas nos portões do Palácio do Planalto que estão atacando a Constituição, pedindo o fechamento do Congresso Nacional, a prisão de membros do Supremo Tribunal Federal, um golpe militar e o novo AI-5 como terroristas.

Muito menos quando os jornalistas foram fisicamente atacados por seus seguidores nesses protestos. Por exemplo, em 3 de maio, uma multidão de seus fãs chutou e bateu o fotógrafo Did Sampai e atacou o motorista Marcos Pereira, ambos do jornal O Estado de S.Paulo. Outros profissionais da imprensa também foram espancados e amaldiçoados.

Mais tarde, ele se opôs à agressão, dizendo que era um ato “alguns loucos” que poderiam ser “infiltrados”Ele chamou a manifestação de “demonstração espontânea da democracia”. Em outras palavras, ele rejeitou o fato de que a agressão era uma conseqüência óbvia de um protesto que despertou o ódio contra jornalistas e instituições.

Assim, da rampa do Palácio do Planalto, o ocupante da Presidência da República sorriu e fez um pequeno protesto que também exigia o fim das medidas de isolamento social contra coronavírus, Detalhe: Este domingo marcou o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa.

Um grupo de enfermeiros já havia sido espancado por outros fãs dois dias antes. O motivo: eles defendiam a manutenção da quarentena para reduzir a taxa de infecção pandêmica. Sim, em 2020, os profissionais que enfrentam a covid-19 estão sendo atacados nas ruas por ciência, em vez de apagão.

Parte da milícia bolchevique atua como uma milícia, não apenas nas redes sociais, mas também na vida offline. Ele trabalha para silenciar e punir aqueles que envergonham seu líder ou questionam as idéias que ele apóia. E é o “terrorista” e o “marginal” que exige que essas milícias deixem de operar e que o presidente atue de acordo com a posição que ocupa e com respeito à Constituição?

Parece uma piada, mas é um método. Ele apostou que dezenas de milhares de mortes até 19 chocaram menos de um milhão de desempregados e exigiu que todos voltassem à vida normal imediatamente. Se suas táticas funcionarem, a economia continuará (jogo) e as pessoas morrerão. Se ele der errado e encontrarmos um distúrbio social, ele lucra com a possibilidade de atacar instituições democráticas e fazer o que ele quiser usando a justificativa da turbulência. Um país que será moldado por sua imagem e personagem é seu antigo sonho de consumidor.

Além do cinismo e da inconsistência, o que irrita é a falta de criatividade em tudo isso. O presidente também não pode ter precedentes em suas explosões.

Os Estados Unidos viram protestos nas principais cidades depois que George Floyd, um negro de 46 anos, foi estrangulado e morto por um policial branco em Minneapolis. Temendo uma escalada de descontentamento alguns meses antes da eleição, Donald Trump anunciou neste domingo (31) que denotaria anti-fascismo, uma posição ideológica, como uma “organização terrorista”.

Bolsonaro, que vê o americano como um ídolo pessoal, imediatamente distribuiu uma publicação relacionada a protestos em nome da democracia e contra seu governo a grupos opostos ao fascismo.

Trump prometeu segunda-feira que usaria força federal contra manifestantes nas ruas. Isso teve o efeito oposto e levou mais pessoas a protestar contra a violência do estado. Uma pesquisa da Reuters / Ipsos descobriu que 64% dos americanos simpatizam com os manifestantes.

E, novamente, após as ameaças de Trump, Bolsonaro copia seu líder.

A ameaça apenas agrava a situação no Brasil e nos Estados Unidos. Existem (por enquanto) eleições presidenciais no final do ano, que podem confirmar ou retirar Trump. Eles estão aqui por mais dois anos e meio. A questão é se a democracia pode suportar tantos golpes. Se as instituições não reagirem com mais força, Bolsonaro acabará vencendo com pontos. Ou por nocaute.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

TURNOZERO.COM PARTICIPE DO PROGRAMA ASSOCIADO DA AMAZON SERVICES LLC, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE DE AFILIADOS PROJETADO PARA FORNECER AOS SITES UM MEIO DE GANHAR CUSTOS DE PUBLICIDADE DENTRO E EM CONEXÃO COM AMAZON.IT. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.IT, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZON, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS EM COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO NOSSO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DA AMAZON.IT E DE SEUS VENDEDORES.
Turno Zero